Argentina – Bariloche

 

 

 

San Carlos de Bariloche

País: Argentina
Língua Oficial: Espanhol
Capital: Buenos Aires
Fuso Horário: UTC-3
Cód. Telefônico: +54
Moeda: Peso Argentino

 

História

 

Em 1881 alcançaram o interior do Nahuel Huapi e começaram o assentamento definitivo de habitantes na região. Em 1883 se construiu ol Fuerte Chacabuco, perto de uma desembocadura do Rio Limay. Tinha somente três habitações de barro e palha.

Em 1889 estabeleceu-se junto ao Forte (já abandonado) Jarred Augustus Jones, com 1500 cabeças de gado, e em 1893, junto ao lago, José Tauschek com sua familia. Mas o primeiro homem branco que se fixou onde hoje, é o centro urbano de Bariloche foi Carlos Wiederhold.  Este filho de alemães, procedente do Chile, construiu sua casa, e mais tarde um local comercial, perto do atual Centro Cívico. Se dedicou ao comércio de lã e mercadorias, e com o tempo seu estabelecimento “A Alemanha” foi o centro de reunião dos habitantes da região. Devido a uma carta que recebeu erroneamente, dirigida a “San Carlos”, no lugar de “Senhor Carlos” ou “Dom Carlos”, Wiederhold trocou o nome de seu estabelecimento, e assim nasceu o nome do povoado, e que logo se agregou “de Bariloche” (deformação do nome da passagem da Cordilhera Vuriloche) para diferenciá-lo de outros habitantes de nome igual ao seu. O nome de San Carlos de Bariloche nasceu então devido a erros de escrita.

San Carlos de Bariloche, é a cidade mais importante do Parque Nacional Nahuel Huapi (na língua araucana: ilha do tigre) criado pela lei N°12103 em 9 de outubro de 1934, encontra-se demarcado por um regime especial de conservação e proteção. Sua extraordinária beleza paisagística deslumbrou os primeiros expedicionários e habitantes. Mas tarde, imigrantes europeus encontraram grande semelhança com sua terra natal, escolhendo essa região como lugar de residência permanente. Sua localização geográfica, no sudoeste da província de Neuquen e noroeste da província de Rio Negro, abrange 750.000 hectares, das quais 330.000 pertencem a Reserva Nacional.

Uma das características físicas mais destacáveis da região é a presença de lagos e rios de grande abundância, que levam suas águas para os oceanos Atlântico e Pacífico. As grandes chuvas e o derretimento da neve alimentam esses lagos e rios. A desembocadura mais importante é a Nahuel Huapi com 600.000 hectares.  Suas costas apresentam penínsulas de grande importância como as de Llao-Llao, San Pedro, Quetrihué e Huemul. Os braços Manchete, Rincón, Blest, Ultima Esperanza, Tristeza, Angostura e outros, são de grande profundidade e em muitos casos um mistério sem desvendar, alimenta relatos de muitas pessoas que viram o famoso “Nahuelito”.

O clima da região é frio e seco, as temperaturas variam entre 2° C e 19° C, com picos de 0° C no inverno e 30° C no verão. Os dias são curtos no inverno e muito extensos no verão. As chuvas se acentuam no inverno produzindo intensas nevadas.

O Parque Nacional é o lar de inúmeras espécies. Os biomas estão determinados nos lagos, bosques, estepe e altas montanhas. Nos bosques subantárticos podemos encontrar uma importante quantidade de espécies de árvores nativas como o coihue e o ciprés, o maitén e o radal em regiões com muita água, e o arrayán e a patagua. Se tiver sorte, dependendo da época do ano em que nos visite, quem sabe, poderá encontrar alguma espécie de mamífero como o pudú-pudú, o cervo ou o huillin. Entre as aves, seguramente poderá ver exemplares de Cauquenes, Bandurrias, Gaivotas, ou escutar o assobio do Fio-Fio e o canto de muitas espécies, e quem na, o se estremece cuando observa o lento e majestosos voar do Cóndor?

 

 

 

 

 

A cidade

 

San Carlos de Bariloche é um sucesso entre os turistas da América do Sul e do mundo. No inverno, devido a sua posição geográfica, a temperatura chega a -10ºC, transformando as grandes montanhas ao seu redor, cobertas de neve, em movimentadas estações de esqui. O Cerro Catedral é considerado uma das melhores estações de esqui do hemisfério sul.

Mas suas atrações não estão apenas na neve e na baixa temperatura. Outro grande destaque da cidade é a gastronomia. Os pratos à base de caça, como cervo e javali, ou pesca, como o salmão e truta, dão um toque especial e memorável a cada refeição.

Além de tudo isso, ainda há várias lojas, bares, hotéis, restaurantes, boates, clubes. Tudo o que uma boa cidade turística deve ter.

 

Localização

A cidade é localizada no Parque Nacional Nahuel Huapi, o maior e mais antigo parque da América do Sul. Fica a 1.607 km de Buenos Aires e a 770m acima do nível do mar. É cercada pelos lagos Nahuel Huapi, Gutiérrez e Macardi e por montanhas, destacando o Cerro Tronador na fronteira com o Chile, o Cerro Catedral e o Cerro López. Está sobre a costa meridional do lago Nahuel Huapi, na Província de Río Negro, junto à Cordilheira dos Andes, na fronteira com o Chile.

 

Festas e Eventos

Há vários eventos, festas e comemorações em Bariloche. Podemos destacar a tradicional Festa Nacional da Neve, que oferece competições esportivas no Cerro Catedral, a Semana Internacional do Esqui, A Descida de Tochas, o concurso de machadeiros, os fogos de artifício. Existem também a celebração do Coro Natalino (ou Navidad Coral), que todos os anos é realizada na Catedral de Bariloche, a Festa das coletividades Latino-Americanas, a Festa Nacional do “Curanto” e a Festa da Rosa Mosqueta.

 

Cultura

O nome Bariloche vem de “Vuriloche” (povo de trás da montanha na língua Mapuche). A cidade foi fundada em 1895 quando Karl Wierderhold, um imigrante alemão, criou um armazém no local. Em 1902 tornou-se a cidade de San Carlos de Bariloche.  Sua arquitetura possui influências européias (alemãs e austríacas).

 

Economia

A principal atividade econômica de Bariloche é o turismo, tanto nacional quanto internacional e durante todo o ano. No inverno, várias pessoas vistam as montanhas cobertas de neve e as estações de esqui para praticar o esporte ou mesmo só para apreciar a paisagem. Já no verão, milhares de turistas visitam as belas praias (tais como Vila Tacul e Praia Bonita).

Os diferentes circuitos turísticos em Bariloche incluem lugares como Puerto Pañuelo, Puerto Blest, Cascata Los Alerces, Cerro Catedral, Cerro Tronador, Cerro Lopez, Lago Moreno, Nahuel Huapi e Lago Mascardi.

 

Links Úteis:

Site Oficial: www.bariloche.gov.ar

Visite também: www.bariloche.esp.br

Parques Nacionais da Argentina: www.parquesnacionales.gov.ar

Welcome Argentina: www.welcomeargentina.com

Viste também www.aa2000.com.ar para informações sobre aeroportos argentinos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dicas

Roupa para cidade

Para um frio acima de 0ºc, uma boa calça de lã, por cima de uma meia calça fio 40 + 2 meias de lã e calça jeans já segura bem. Para a parte de cima, uma boa camiseta manga longa, uma pullover de lã, um bom casaco de couro, cachecol, luvas e gorro.

Para frio abaixo de 0ºc, provavelmente vai precisar de uma roupa mais técnica. Roupa chamada Segunda Pele (à venda em qualquer casa de montanhismo +- R$100,00) retém o calor do corpo e elimina a umidade. Essa é a roupa que você coloca primeiro. Depois põe uma boa camisa de malha, um Polartek terceira camada e um bom casaco corta vento e impermeável com capuz.

Para a neve

Você não vai querer usar calça jeans. Quando molha, fica pesada, úmida e incomoda muito. Você deve usar uma boa calça de moletom ou de lã (de preferência uma segunda pele conforme mencionei acima pois não retém nem o calor e nem a umidade) e a calça que você aluga para a neve. O mesmo vale para a parte de cima. Segunda pele + camisa de malha + casaco impermeável.

Compre uma boa bota de montanhismo, impermeável (goretex) e cano médio-alto. Salomon GTX (+- R$400,00) é uma boa pedida. Não vale a pena alugar. Os pés são a parte do corpo que mais sofre na neve. Se estiver usando uma boa bota, nem vai se lembrar dela. Se estiver usando uma bota desconfortável, você se lembrará disso por muito tempo.

Nunca use tênis na neve. Seu pé vai congelar, mesmo que use 5 meias de lã.

A mesma roupa que você vai usar na montanha você pode usar a noite na cidade, mas talvez você queira estar mais bem-vestido, um bom casaco para neve, com Polartek e lã por baixo resolve a parada.

Nunca se esqueça do gorro. Você não vai querer ter a sensação de não conseguir falar porque dói a garganta.

Os bares, restaurantes e casas noturnas são aquecidos.

É melhor alugar/comprar as roupas de neve lá em Bariloche. Os preços de lá são muito convidativos.

Ninguém está na neve para sentir frio. Curti-la não significa sentir frio.

Não se esqueça de levar roupas bem quentes, como casacos com gorros e jaquetas bem grossas. Não se esqueça também de levar luvas, toucas e cachecóis, pois o inverno lá é muito rigoroso.

Não deixe de visitar a Rua Bartolomé Mitre, pois lá se encontra o comércio principal da cidade.

Não se esqueça que grande parte do comércio fecha as 14h00min e só reabre as 15:00 devido a hora da Sesta.

Se prepare para andar bastante. As paisagens de Bariloche são quase infinitas e garantem horas de passeios. Aproveite e leve bateria extra e um bom cartão de memória para sua câmera (ou filme se for o caso).

Se não estiver afim de parar apenas nos pontos que os guias te levam nos passeios prontos, alugue um carro e faça o seu próprio passeio para poder parar onde você quiser.

Se você é fã de esportes, não se esqueça de levar equipamentos para esqui ou snowboarding. Ou os dois! Você decide.

Se você nunca praticou esqui, mas tem vontade de tentar, não se esqueça de pagar algumas aulas antes de se aventurar. Você pode se machucar caso tente aprender sozinho.

Enquanto estiver em Bariloche, experimente as delícias que a cidade oferece. Tem os tostados que são sanduíches tostados, geralmente de presunto e queijo e são uma delícia. Temos também os Cubanitos, rolinhos de waffer recheados de doce de leite, com as pontas de chocolate, como um charuto. Se você gosta de lanches, existem as “hamburguesas”, uma versão mais torrada dos hambúrgueres que conhecemos. Existem vários tipos com o Vacuno (de vaca) ou o de Ciervo (cervo).

Se estiver chovendo e você não puder aproveitar a natureza, visite os museus. Também são muito interessantes.

Sempre faça reservas nos restaurantes, pois estão quase sempre lotados.

Leve os remédios que estiver acostumado. Lembre-se de que na Argentina, os remédios são diferentes. Se for visitar durante o inverno, não se esqueça de levar remédios para gripe, resfriado, febre, dores de garganta e etc.

Quando for ao Cerro Catedral, visite a Gruta de Nossa Senhora das Neves no caminho. Você não vai se arrepender.

Ao desembarcar, é uma boa idéia passar no Duty Free Brasif e aproveitar os US$500,00 que você tem direito com produtos importados, independente do que você já tenha gasto. Tudo isso livre de qualquer imposto e com garantia da BRASIF.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passeios

Circuito Chico

É um dos passeios mais tradicionais de Bariloche, que inclui a visita aos principais mirantes do Parque Nahuel Huapi, como o Cerro Campanário, que oferecem as mais belas paisagens da região.
O passeio também inclui visita ao Hotel Llao Llao, o mais luxuoso e cobiçado de Bariloche.

Cerro Catedral

Principal centro de Sky da América Latina, localizado a 22 km do centro de Bariloche, com 70 quilômetros de pistas, 40 meios de elevação e 15 restaurantes de montanha, entre eles, um adaptado dentro de uma caverna.


Cerro Otto

A 10 minutos do centro de Bariloche, tem como destaque uma confeitaria giratória no seu topo, alcançada por teleférico, que oferece uma fantástica vista para Cordilheira dos Antes e para o Lago Nahuel Huapi.

Villa La Angostura e Cerro Bayo

A vilazinha, à 82 km de Bariloche, oferece o comércio mais exclusivo e caro da região. Tem a sua própria estação de esquí, o Cerro Bayo, que é muito menos movimentada do que os outros centros de esqui de Bariloche.


Isla Victoria e Bosque de Arrayanes

A ilha mais extensa do lago Nahuel Huapi, representa uma importante reserva de Bariloche. Na ilha existem várias lagunas, 04 portos, um sofisticado complexo gastronômico, teleférico, pinturas rupestres com mais de 500 anos, e o bosque de Arrayanes, com sua coloração canela.

 

 


Isla Huemul

Conta com uma área ecológica, histórica e outra de recreação e turismo, que permite desfrutar em um mesmo ecossistema da exuberância do Bosque Valdiviano, da singularidade do Bosque de Arrayanes e da profundidade do Bosque Subantártico.

Piedras Blancas

Situado na ladeira norte do Cerro Otto, permite a prática de esqui alpino e nórdico. Possui pista para esquiadores iniciantes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ski em Bariloche

 

Todas as disciplinas relacionadas com o esqui estão disponíveis. Estão os que praticam freestyle e também os que fazem snowboard desfrutarão de um área especialmente desenhada com obstáculos e rampas para demonstrar suas habilidades. O Catedral é também palco das mais importantes concorrências internacionais.

O Cerro Catedral é uma montanha localizada a 19 km (12 milhas) de San Carlos de Bariloche, e dentro do Parque Nahuel Huapí, Patagônia, Argentina. Seus bicos se assemelham às torres de um templo de estilo gótico medieval. Essa é a razão de seu nome. O Cerro Catedral abre suas portas a todos os habitantes do planeta que queiram desfrutar de experimentar a aventura que auguram os esportes de inverno.

A 1030 metros sobre o nível do mar, parecem-se encaixar a terra e o céu. É um pioneiro entre os centros de esqui de Sudamérica, no presente é o mais completo e continua atualizando suas instalações para oferecer-lhe a seus visitantes a mais avançada infra-estrutura. Desde esta temporada, a unificação dos diferentes setores oferecerão 600 hectares de superfície esquiaveis divididos em 53 pistas com várias dificuldades, que atingem os 2000 metros sobre o nível do mar.

Certamente é o maior com arredor de 67km (42 milhas), acessíveis por 27 elevações com uma capacidade de cerca de 20,000 esquiadores por hora. O Grande Catedral incorpora a vários operadores que competem entre se, em Lado Bom e Robles incluindo um cabo carril, a aerosilla independente Lynch, e 3 escolas de esqui: Robles Catedral, Ski Total e Catedral. A montanha foi finalmente integrada ao estabelecer-se um ticket de ascensão em 1986. Portanto, é possível esquiar na base o equivalente ao 30 % da temporada. um grande esforço se faz para cuidar e manter ao menos uma porção pequena da montanha.

Como chegar: Desde Bariloche, pela Av. Bustillo até o quilômetro 8 (intesección Catedral). Então, gire à esquerda pelo caminho asfaltado, chegará até o acesso, onde poderá estacionar seu auto numa praia como para 960 veículos. Desde ali um serviço regular de micros cada 30 minutos. Pode subir em táxi ou numa excursão turística.

Quando ir: Desde o 18 de Junho até o 10 de Outubro, dividido em alta, média e baixa temporada.

Horário: De 9 a 17 hs.

Que fazer: Alpinismo, snowboard, andar em trenós, montanhismo, e passear em bicicleta. A razão de que o Catedral seja tão popular não é a qualidade da neve. Senão que efetivamente se pode esquiar na base do mesmo durante o 30 % da temporada tendo à mão o lado este do Cerro e os meios de elevação. Um grande esforço se faz para preservar ao menos uma porção da montanha.

Serviços: Refúgios, restaurantes de primeira classe, lojas de presentes, casa de fotografias, serviço médico na base, telefone público e acesso a internet na base e aos 1600 metros de altura, aluguel de esquies, estacionamento, serviço de informação turística, creche, escola de ski, shopping, discos, traslados à montanha e sala de imprensa. Veja também Excursões em Bariloche, Turismo em Bariloche e previsão do tempo em Bariloche.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gastronomia

 

O que não falta em Bariloche são opções de pratos variados. A culinária varia entre Européia, Latino – americana, confeitarias, bares e casas de chá.

Podemos destacar entre os mais famosos o “cordeiro patagônico”, fondues, goulash e os tradicionais cervos, trutas, javali e queijos defumados acompanhados pelos melhores e mais finos vinhos regionais.

Uma experiência única é o curanto, prato que vem diretamente da culinária Mapuche, o povo índio que habitava a região. É preparado embaixo da terra, sobre brasas e enrolado com folhas de nalca, uma planta cultivada na região.

Também podemos encontrar um delicioso café da manhã com um pão trançado recheado, bolinho quente com manteiga ou uma grande variedade de doces regionais como as deliciosas tortas ou chocolates. Tudo isso acompanhado de chá, chocolate quente ou café.

Se você procura um programa para reunir família e amigos, pode optar por uma boa cerveja artesanal, com tábua de defumados de cervo, truta, salmão e javali acompanhados por carnes regionais e patês caseiros.

Existem também os sorvetes artesanais com uma imensa variedade de sabores. Não se esqueça também das frutas frescas e licores à base de framboesa, sauco, mosqueta, entre outros, que também dão um show à parte.

 

Restaurantes:

Depois de esquiar o dia todo, passear muito, curtir os lagos, nada mais gostoso que jantar fora! Bariloche e seus restaurantes requintados, aconchegantes, fondues deliciosos, carnes sensacionais…escolha um belo vinho nacional e …tim tim! Comemore sua estadia num lugar tão lindo!

Casita Suiza

Pequeno e aconchegante este é um dos nossos preferidos de Bariloche! O fondue de queijo é maravilhoso e o prato de carnes grelhadas na pedra é sensacional! (Pierrade) Você vira o grande chef, com a pedra à sua frente, colocando mil molhinhos gostosos!Não esqueça dos crepes de doce -de- leite, divinos! (O end. Quaglia 342)

El Boliche de Alberto

Não, não é boliche. Aqui quer dizer “o negócio de Alberto”, e também boliche é lugar para dançar. Mas também não há dança, apenas carnes maravilhosas, num lugar despojado e sem luxo. Simpático e sempre movimentado também têm ótimas sobremesas, como o “Almendrado” (sorvete de amêndoas) ou o “Bombom Suizo” (sorvete de doce-de-leite, com doce de leite cremoso no meio e coberto por calda dura de chocolate!) Hummm, demais! Não aceita reservas, mas ligue e deixe seu nome na lista de espera, assim sua mesa vem mais rápido. (O end. Villegas 347)

Tarquino

Ligue para reservar, pegue seu carro e vá ao Tarquino, o mais bonito de Bariloche! Sua arquitetura é bárbara; vidros por todo lado, fogo da lareira, fogo da churrasqueira, toras de madeiras claras, árvores do lado de dentro, mais vidros, arquitetura-Patagônica-moderna, lindo! Clima legal, música lounge, gente bonita e ótima comida! Pescados, massas caseiras e ótimas sobremesas. Experimente o fondue de chocolate…(O end. 24 de Septiembre com Saavedra)

La Marmite

Na movimentada calle Mirtre encontra-se o gostoso restaurante de toalhas vermelhas e madeiras escuras. Com variedade de carnes, trutas, fondues, etc. Aproveite a decoração para ver (na parede de cima) um belo par de skis antigos, feitos de bambu! Depois das 4 há chá da tarde com deliciosas tortas. Se você quer fugir de brasileiros, esqueça o lugar. ( O end. Mitre 529)

Familia Weiss

A Família Weiss é um dos restaurantes mais tradicionais de Bariloche, perto do Lago Nahuel Huapi. O lugar é grande, envidraçado, bom para ir quando se está com grupo grande. (Seu fondue de carne é diferente, onde a carne é cozida em um consomée, não em óleo…) A Truta é o carro-chefe do restaurante. Há também cervo, javali, etc.( O end.V.E.O Connor)

Kandahar

Bem romântico, à luz de velas é um dos lugares mais charmosos de Bariloche. Pequeno e aconchegante sempre é bom fazer reservas pelo tel. 424702(O end.20 de febrero 698, em frente a plaza Belgrano)

 

La Alpina

Aqui você encontrará o fondue de carne do jeitinho suiço que estamos acostumados no Brasil, onde a carne é cozida na panela de fondue com óleo ( e não como nos outros, com consomée). O ambiente é dividido por biombos de treliças e na parte de baixo as mesas ficam ao redor da lareira. Também há um mezanino. Sim, os fondues de queijo também são muito bons. (O end. F.P.Moreno, 98, e como é grande não aceita reservas).

Atalaya

O Restaurante e Confeitaria Atalaya está situado entre os morros López, Capilla e Ilha Victoria. É super longe, mas se estiver passeando pelos lados do Llao Llao, e se quiser ver uma vista linda…( O end. Av. Bustillo km 23,500)

La Mamadera

Esta é uma tradicional lanchonete de Bariloche, o 1º fast food. Sim, quer dizer mamadeira mesmo, e a inspiração só podia ser de baby! Catchup, mostarda e maionese estão em frascos de mamadeira, e o sal numa embalagem tipo talco. Divertido, as crianças adoram. O melhor são os “tostados de miga de jambon e queso” !! Hot dogs, etc. mas os hamburguers são meio diferentes do Brasil.. ( o end. Mitre 356).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compras

 

A maioria dos produtos fabricados em Bariloche é o resultado de uma mistura cultural entre os índios (contribuindo com técnicas e artersanato) e imigrantes europeus (contribuindo com experiência e organização comercial).

As empresas que se organizam em família são as predominantes em Bariloche, se espalhando em vários setores como: cerâmica, chocolates, cosmética, doces, metais, pintura natural, tecidos e velas.

Além disso, ainda temos o artesanato local dos vilarejos. A Feira Artesanal Municipal é realizada diariamente nas ruas Moreno e Villegas.

No mesmo local, encontra-se a Casa de Artesanato Mapuche, que mostra aos turistas um pouco mais de sua cultura e sua história. Neste local é possível comprar lembranças para nunca se esquecer dessa visita única.

Não se esqueça da rua Bartolomé Mitre, o principal centro comercial da cidade. Você não pode deixar de visitar esse local se quiser fazer boas compras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tempo

 

Para os brasileiros que querem aproveitar o frio e a neve farta, Bariloche pode ser o caminho mais próximo e fácil. Os picos gelados podem ser explorados e conhecidos através da ótima e constantemente aperfeiçoada estrutura de teleféricos, trenós e pistas de esqui.

As temperaturas abaixo de 10ºC se iniciam em abril, mas a temporada para esportes na neve segue até o fim de setembro/ início de outubro, com temperaturas entre 5ºC e -10ºC.

Apesar do inverno e da neve serem os grandes atrativos de Bariloche, o verão também tem seus diferenciais: as noites são geralmente frias e o sol é visível até às 22h. A temperatura média é de 18ºC, com mínimas de 9ºC.

 

Temperatura e Precipitações

Mês

Máxima TºC

Mínima TºC

Precipitac. ML

Janeiro

35º

12º

14.75ml

Fevereiro

34º

13º

14.75ml

Março

28º

10º

19.66ml

Abril

20º

34.40ml

Maio

18º

-5º

86.65ml

Junho

17º

-12º

90.13ml

Julho

15º

-14º

83.54ml

Agosto

14º

-18º

75.38ml

Setembro

18º

-10º

37.69ml

Outubro

20º

-5º

24.58ml

Novembro

25º

16.39ml

Dezembro

28º

10º

21.30ml

 

 

 

Curiosidades

Dicionário

O espanhol é uma língua parecida com o português, mas vale lembrar que existem algumas palavras iguais ou parecidas com a nossa língua que não têm o mesmo sentido. Para você não ficar todo confuso enquanto estiver por lá, segue abaixo uma lista com algumas destas palavras.

 

Acordar:

Lembrar ou combinar

Ala:

Aba (de chapéu)

Apellido:

Sobrenome

Almohada:

Travesseiro

Boliche:

Negócio (de estabelecimento)

Borracha:

Bêbada

Borrar:

Apagar

Cachorro:

Filhote

Carro:

Carroça

Coger:

Pegar

Cola:

Fila

Copa:

Taça

Ligar:

Paquerar

Largo:

Longo

Oficina:

Escritório

Presunto:

Suposto

Rato:

Momento

Sítio:

Lugar

Taza:

Xícara

Todavia:

Ainda

Vaso:

Copo

Zurdo:

Canhoto

 

 

Origens do Esqui

Na Noruega (mais precisamente, na ilha de Rodóby) foi encontrada uma pedra datada do ano de 2.500 a.C, onde está gravada a figura de um caçador usando esqui. Em 500 d.C, um historiador bizantino escreveu sobre uma competição na neve usando instrumentos nos pés para deslizar por ela, realizada entre os povos do norte. Assim começou o esporte. O esqui era utilizado como meio de transporte nas regiões mais frias da Europa. Era conhecido entre os chineses pelo nome de “cavalos de madeira”. O esporte apareceu nas olimpíadas pela primeira vez em 1942.

 

O que é a neve?

Neve é um tipo de precipitação na forma de água cristalina congelada. Quando agrupadas, essas precipitações formam os flocos de neve que caem das nuvens. Ela é formada pelo congelamento do vapor da água suspenso na atmosfera.

Não existem dois flocos de neve exatamente iguais. Isso porque as partes do cristal estão divididas em aproximadamente 80 formas geométricas diferentes. O formato adquirido depende de fatores como temperatura, altura e quantidade de água contida na nuvem em que se forma.

Quando a neve é feita de grandes flocos e formada quando a temperatura está próxima de zero, ela se torna a neve “úmida” que é mais densa, mais difícil de limpar e perfeita para fazer bolas e bonecos de neve. Quando é feita em temperaturas abaixo de zero, se torna a neve “seca” que é mais fina, poeirenta e mais fácil de limpar.

 

O Monstro do Lago

Existe uma história interessante em Bariloche sobre a Laguna Negra. No início do século 20, acreditava-se existir um plesiossauro (espécie de mamífero pré-histórico) que morava no fundo de suas águas. No entanto, essa história não passava de uma espécie de pegadinha inventada pelo detetive americano Martin Sheffields, que foi até Bariloche em 1901 a procura de dois criminosos americanos e nunca mais voltou para os Estados Unidos.

O detetive mandou uma carta para o diretor do Jardim Zoológico de Buenos Aires em 1922 onde descrevia detalhadamente o animal. Pela descrição, era um animal tão impressionante que os biólogos do zoo concluíram ser um mamífero pré-histórico. A história foi um estouro e rodou pelo mundo inteiro até chegar ao então presidente dos Estados Unidos, Warren Harding, que ameaçou a Argentina de represálias caso não entregassem o animal conhecido com Plesiossauro da Patagônia para a Instituição Smithsoniana de Washington.

Vários cientistas, biólogos e pesquisadores de vários países viajaram para Bariloche para estudar o mamífero, mas chegaram à conclusão de que o famoso monstro do lago não era nada mais do que um tronco de árvore envolvido em couro de vaca.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.