Brasil – Fernando de Noronha

 

 

 

O paraíso existe, fica na Terra e tem nome e sobrenome: Fernando de Noronha. Com areias douradas, mar em tons de azul turquesa e verde esmeralda, corais, vida marinha esplendorosa, mata, formações rochosas… o arquipélago só pode ser uma filial do Éden a 545 quilômetros do Recife.

 

Acessível por avião ou navio, Noronha não é um destino barato – todos os produtos disponíveis no arquipélago vêm do continente, o que encarece os preços do pãozinho à gasolina. E ainda tem a taxa de permanência, que não é muito em conta. Mesmo assim, não venha para ficar apenas dois dias. Cada tostão gasto na ilha é muito bem recompensado pelos cenários vislumbrados em cima e embaixo d´água. Entre eles estão as praias da Baía do Sancho, da Baía dos Porcos e do Leão – listadas entre as dez mais bonitas do Brasil – e os morros dos Dois Irmãos e do Pico, cartões-postais de Noronha.

 

A ilha é pequena, tem apenas 17 quilômetros quadrados e a menor BR do país – a 363, com seis quilômetros de extensão – o que facilita desbravar o território. Com as praias divididas em mar de dentro e mar de fora, é fácil coordenar a infinidade de atrativos e atividades. Tem caminhada, caiaque, passeios de barco e de bugue, observação de golfinhos… mas o que não pode ficar de fora do roteiro de jeito nenhum é o mergulho de garrafa, afinal, estamos falando de um dos melhores lugares do mundo para a prática do esporte. Para quem não encarar a descida nem mesmo em um batismo – mergulho acompanhado por instrutor a 15 metros de profundidade em média –, basta uma máscara e um snorkel para se divertir e se encantar com as belezas escondidas nas piscinas naturais do Atalaia, que vão muito além dos peixinhos e dos corais coloridos – tartarugas e arraias dão o ar da graça e nadam lado a lado com os visitantes. O surfistas também fazem a festa em Noronha. De dezembro a março, as praias da ilha ganham ondas perfeitas que variam de dois a cinco metros.

 
            Para entender como Noronha, descoberta em 1503, continua tão preservada, é simples.  Até 1982 o lugar funcionou ora como presídio, ora como área militar. Somente nos anos 90 a ilha foi aberta ao turismo, e mesmo assim, com muitas restrições, uma vez que foi transformada em Parque Nacional Marinho e tombada pela Unesco como Patrimônio Mundial Natural. Para se ter uma idéia do controle, apenas 700 pessoas podem pernoitar no arquipélago ao mesmo tempo. Estes felizardos curtem ainda as animadas palestras na sede do Ibama/Projeto Tamar, seguidas pelo forró do Bar do Cachorro.

 

 

O que ver e fazer em Fernando de Noronha

 

Noronha é para ser curtida dentro e fora da água, com passeios de barco, de bugue, através de mergulhos e caminhadas em trilhas. A ilha é pequena – tem apenas 17 quilômetros quadrados -, mas oferece muito para se ver e fazer. Organize-se para não desperdiçar nem um minuto no cobiçado pedaço do paraíso.

 

- Praias da Cacimba do Padre, Baía dos Porcos e Sancho

 

A trinca de praias oferece os cenários mais bonitos de Noronha, em cima e embaixo d´água. Ficam no chamado mar de dentro, uma ao lado da outra. O acesso – à Baía dos Porcos e Sancho – não é dos mais fáceis, mas o sacrifício vale a pena para mergulhar nas águas transparentes repletas de peixes e apreciar o morro Dois Irmãos de belíssimos ângulos.

 

- Ilhatur

 

O passeio de bugue dura o dia inteiro e leva à maioria das praias do arquipélago – dos mares de dentro e de fora – com paradas para mergulho. Inclui ainda os mirantes e a Vila dos Remédios. É uma opção para quem não pretende alugar um carro.

 

- Mergulho

 

As águas transparentes e a diversidade da fauna marinha fazem de Fernando de Noronha um dos melhores lugares do mundo para mergulhar. No cardápio – que traz alimentos para os olhos e a alma – estão cardumes variados e coloridos, arraias, tubarões, tartarugas, moréias, barracudas, golfinhos, esponjas e corais. A visibilidade chega a 50 metros e a ilha oferece ainda mergulhos noturnos – apenas para credenciados.

 

- Pôr-do-sol

 

O pôr-do-sol acontece no lado das praias do mar de dentro. As mais disputadas são Conceição e Cacimba do Padre, além da praia do Boldró, onde o espetáculo pode ser contemplado em um mirante nos arredores do Forte de São Pedro.

 

 

- Snorkeling na Praia do Atalaia

 

O banco de corais pertinho da areia faz de Atalaia o melhor ponto de Noronha para mergulhar com snorkel. Além dos peixes coloridos, reúne famílias inteiras de arraias e tartarugas. O acesso à praia é controlado pelo Ibama, é preciso pegar senha para entrar lá e há tempo estipulado para nadar. Mas a burocracia compensa!

 

 

- Observação de golfinhos

 

Para quem gosta de madrugar, um programa – que depende da sorte – é observar os golfinhos no mirante na Baía dos Golfinhos, às seis da manhã. É neste horário que eles costumam aparecer para alimentar seus filhotes, descansar, namorar, brincar… biólogos do Ibama que ficam de plantão no local dão orientações e emprestam binóculos para uma melhor contemplação, já que nesta praia é proibido mergulhar.

 

- Vila dos Remédios

 

As construções histórias preservadas da Vila dos Remédios fazem o principal núcleo urbano da ilha parecer um cenário. O centrinho cresceu nos arredores da igreja de Nossa Senhora dos Remédios, construída em 1772 pelos portugueses e tombada pelo Iphan. A vila abriga ainda a sede da administração da ilha – o Palácio de São Miguel -; as ruínas tombadas da Fortaleza de Nossa Senhora dos Remédios, erguida pelos portugueses no século XVIII; e o Memorial Noronhense, com reproduções de fotos antigas e textos que narram a história da ilha.

 

- Passeio de barco

 

Todos os dias, de manhã e à tarde, os barcos partem da praia do Porto de Santo Antônio para passeios pelo mar de dentro. O tour dura três horas e tem como pontos altos o mergulho na Baía do Sancho e o visual da Ponta da Sapata – encontro de duas pedras que formam um desenho semelhante ao mapa do Brasil. É freqüente a presença de golfinhos rotadores acompanhando os barcos ao longo do percurso. Informe-se na Associação de Barcos de Turismo.

 

- Praia do Leão

 

É o destaque do chamado mar de fora. Extensa, com águas muito azuis e verdes, a praia é a escolhida pelas tartarugas marinhas para desovar no período de janeiro a junho. Com movimento bastante tranqüilo, ganhou o nome em função da enorme formação rochosa dentro do mar que se assemelha vagamente a um leão-marinho deitado. Ao lado fica o Morro da Viuvinha e, nas duas formações, uma infinidade de ninhos faz do local um santuário de aves.

 

- Trilhas

 

Noronha tem dez trilhas principais que levam a praias e mirantes. Todas são bem sinalizadas e a maioria tem entre dois e três quilômetros – a exceção é a Trilha do Capim-Açu, com dez quilômetros.

 

- Noite

 

Os agitos noturnos começam cedo, com as palestras diárias no Centro de Visitantes – sede do Ibama e do Projeto Tamar. Todos os dias, a partir das 20h30, há apresentação de documentários e debates com entrada franca. Entre os temas estão golfinhos, tubarões, tartarugas marinhas, Atol das Rocas e o Parque Marinho de Noronha. Dali, a pedida é seguir para o forró do Bar do Cachorro e dançar com os pés na areia.

 

As praias de Fernando de Noronha

Fernando de Noronha é dividida em duas costas – o mar de dentro, voltado para o Brasil; e o mar de fora, voltado para a África. As praias de águas cristalinas ficam voltadas para o país, entre elas, as mais bonitas da ilha: Cacimba do Padre, Baía dos Porcos e Sancho. É deste lado também que o sol se põe, reunindo turistas e nativos nas praias do Cachorro e da Conceição. Independente do lado escolhido, não esqueça da máscara e do snorkel – em qualquer uma das praias, a rica vida marinha é surpreendente. Leve também água e lanche, uma vez que não há infra-estrutura de barracas na maioria das praias. E não esqueça de trazer o lixo de volta.

 

Mar de Dentro

- Baía dos Porcos

O acesso é difícil – só dá para chegar à Baía dos Porcos a pé, vindo da Cacimba do Padre em uma caminhada de 15 minutos pela areia, além de um trecho de pedras. Mas o esforço é recompensado pela pequena praia com faixa de areia estreita e muitas pedras que formam piscinas de águas transparentes. O paredão altíssimo e a vista do Morro Dois Irmãos completam o visual de tirar o fôlego.

- Cacimba do Padre

Uma da maiores praias da ilha – 900 metros de extensão – a praia da Cacimba do Padre abriga outro cartão-postal de Noronha: o Morro Dois Irmãos. E as belezas não terminam por aí. As águas são verdes e repletas de vida marinha, a areia é clara, fofa e com búzios, e a vegetação nativa dos morros avança sobre a praia. No verão, as ondas chegam a cinco metros. Bom local para apreciar o pôr-do-sol.

 

- Praia do Sancho

Com águas cristalinas e bancos de coral, a praia do Sancho é considerada um dos melhores pontos do Brasil para a prática do mergulho livre. Na época de desova das tartarugas marinhas, entre janeiro e junho, fica interditada das seis da tarde às seis da manhã. O acesso não é fácil, sendo feito a partir do alto de um penhasco com vista espetacular. Ali tem início a escada encravada na rocha que leva à areia branquinha. A praia, porém, é uma das poucas onde é permitida a parada de embarcações para banho, sendo uma opção para quem não topar a aventura pela escadaria.

- Baía de Santo Antônio (Porto)

Ancoradouro natural, a praia da Baía de Santo Antônio abriga uma embarcação grega naufragada na década de 30, atraindo mergulhadores. De areias brancas, guarda ainda as ruínas do Forte de Santo Antônio.

 

 

- Praia do Cachorro

Logo abaixo da Vila do Remédios, é a praia mais freqüentada pelos moradores da ilha. Tem areias claras e fofas e águas calmas e cristalinas, além de uma fonte de água doce. A infra-estrutura garante cerveja gelada e aluguel de snorkel.

- Praia do Meio

De pequena extensão e entre as praias do Cachorro e da Conceição, tem águas mansas e piscinas. Nos períodos de ressaca ganha boas ondas.

- Praia da Conceição

Aos pés do Morro do Pico, um dos cartões-postais de Noronha, a praia da Conceição tem fácil acesso e mar calmo, reunindo a turma do frescobol. No verão, os surfistas tomam conta da paisagem em função das boas formações de ondas. O canto direito abriga o Morro de Fora, com piscinas e peixes. É um dos melhores pontos da ilha para apreciar o pôr-do-sol.

- Praia do Boldró

Uma das preferidas dos surfistas no verão, quando as ondas chegam a cinco metros, a praia do Boldró atrai os banhistas no resto do ano em função de suas piscinas com rica vida marinha. Tem um bom restaurante na areia, que serve petiscos e pratos de frutos do mar. Um mirante nos arredores atrai turistas e nativos na hora do pôr-do-sol.

- Praia do Americano

Pequena, deserta e perfeita para quem busca privacidade – é cercada por pedras dos dois lados – tem águas muito azuis e areia fofa e clara.

- Praia do Bode

As piscinas naturais da praia do Bode são acessíveis pelas pedras. O local funciona como ponto de partida para o trio de praias mais belo de Noronha: Cacimba do Padre, Baía dos Porcos e Sancho.

 

 

 

 

Mar de Fora

- Praia do Atalaia

A paisagem lembra a origem vulcânica da ilha, com pedras negras e o Morro do Frade no meio do mar. Os recifes formam piscinas naturais rasas, com excelente visibilidade e muitos peixes. Controlada pelo Ibama, a praia só recebe pequenos grupos por vez. Para que todos tenham acesso, cada turma permanece, no máximo, uma hora no local. Pegue o ingresso no Centro de Visitantes do Parque Marinho, na Alameda Boldró.

- Ponta das Caracas

Rochosa, a ponta abriga piscinas naturais acessíveis por uma escarpa em meio a muitas pedras. Entretanto, o banho de mar é proibido em função do perigo que a descida proporciona. Um mirante é a principal atração da praia.

- Praia do Leão

É o destaque do chamado mar de fora. Extensa, com águas muito azuis e verdes, a praia é a escolhida pelas tartarugas marinhas para desovar no período de janeiro a junho. Com movimento bastante tranqüilo, ganhou o nome em função da enorme formação rochosa dentro do mar que se assemelha vagamente a um leão-marinho deitado. Ao lado fica o Morro da Viuvinha e, nas duas formações, uma infinidade de ninhos faz do local um santuário de aves.

- Baía do Sueste

De acesso fácil e asfaltado, a praia da Baía do Sueste é freqüentada por tartarugas marinhas. Não esqueça do snorkel para nadar ao lado delas, que chegam em bandos.

- Enseada da Caieira

Dunas rodeiam as piscinas naturais da enseada, que tem difícil acesso em meio a pedras. A presença de tubarões, entretanto torna a praia perigosa para banhos.

- Buraco da Raquel

Repleta de piscinas naturais e rochedos, a praia do Buraco da Raquel é proibida para banhos por medida de preservação ambiental. Mas pode ser apreciada através do mirante. O nome “Raquel” é atribuído à filha de um dos comandantes militares que costumava se esconder na imensa pedra à beira-mar.

- Ponta da Air France

Ponto de encontro do mar de dentro com o mar de fora, a praia da Ponta da Air France não é indicada pra banhos. Do mirante, avista-se as ilhas São José, Rasa e Sela Ginete. O nome vem do fato de, na década de 30, os franceses terem instalado ali uma base de apoio aos vôos sobre o Oceano Atlântico.

 

Esportes e Ecoturismo em Fernando de Noronha

O mergulho é o esporte número um em Noronha, mas a ilha oferece atividades para os adeptos de outras modalidades como o surf, praticado no verão, quando as ondas formam tubos espetaculares nas praias da Conceição, Boldró, Cacimba do Padre e do Meio. O planasub, ou “mergulho a reboque”, foi criado em Noronha e é uma opção para ver as belezas do fundo do mar sem a necessidade de realizar um mergulho profundo. Caiaques e trilhas diversas convidam a relaxar enquanto se contempla a paisagem caprichada. E ainda tem o snorkeling, acompanhamento obrigatório de todas as outras atividades.

Snorkeling

Mesmo quem não pretende fazer um mergulho profundo pode apreciar a fauna marinha de Noronha em seu habitat. Nas piscinas naturais das praias do Atalaia, Sueste e da Baía do Sancho, e nos aquários formados pelas pedras da Baía dos Porcos é possível ver peixinhos coloridos, tartarugas e famílias inteiras de arraias. Basta se equipar com máscara, snorkel e pés-de-pato. A melhor época para o snorkeling é entre agosto e novembro.

Mergulho

As águas transparentes e a diversidade da fauna marinha fazem de Fernando de Noronha um dos melhores lugares do mundo para mergulhar. No cardápio – que traz alimentos para os olhos e a alma – estão cardumes variados e coloridos, arraias, tubarões, tartarugas, moréias, barracudas, golfinhos, esponjas e corais. A visibilidade chega a 50 metros e a ilha oferece ainda mergulhos noturnos – apenas para credenciados.

Surf

Entre os meses de dezembro e março o regime de ventos se inverte em Noronha, tornando a ilha um dos melhores pontos de surf do país. As praias do mar de dentro ganham ondas com altura média de dois metros e tubos perfeitos. Os melhores picos são  Conceição, Boldró, Cacimba do Padre e do Meio. Converse com os locais para ficar por dentro dos horários das marés.

Planasub

O “mergulho a reboque” é feito com o uso de máscara, snorkel e prancha de acrílico. O turista é rebocado por barco ou lancha sobre áreas de concentração de vida marinha e naufrágios. A modalidade foi criada em Noronha, em 1997, e é uma opção para quem não pretende fazer mergulhos com cilindro.

Caiaque

Uma rota semelhante à dos passeios de barco pode ser feita em caiaques para dois remadores, acompanhados por guia. A aventura vai do porto à praia da Cacimba do Padre, com parada na praia da Conceição para mergulho com snorkel. Na volta, a partir do morro Dois Irmãos, um bote a motor reboca os remadores – além dos braços cansados, o vento contra não colabora. O passeio tem duas horas de duração.

Trilhas

Noronha tem dez trilhas principais que levam a praias e mirantes. Todas são bem sinalizadas e a maioria tem entre dois e três quilômetros – a exceção é a Trilha do Capim-Açu, com dez quilômetros.

 

Mergulho

As águas transparentes e a diversidade da fauna marinha fazem de Fernando de Noronha um dos melhores lugares do mundo para mergulhar. No cardápio – que traz alimentos para os olhos e a alma – estão cardumes variados e coloridos, arraias, tubarões, tartarugas, moréias, barracudas, golfinhos, esponjas e corais. A visibilidade chega a 50 metros e a ilha oferece ainda mergulhos noturnos – apenas para credenciados.

 

Para quem não tem prática, as operadoras locais oferecem o batismo, um mergulho de cerca de 15 metros de profundidade orientado por um instrutor e que inclui os equipamentos, como roupa de neoprene, cilindro, colete, máscara e pés-de-pato.

 

Principais pontos de mergulho

 

Mar de dentro

Naufrágios

A 62 metros de profundidade, na Ponta da Sapata, a corveta Ipiranga é considerada o naufrágio mais conservado do Brasil. Naufragada em 1983, a embarcação está a 20 minutos do porto. Já na baía de Santo Antônio fica o navio grego Eleane Stathatos, a sete metros de profundidade e afundado nos anos 30. Por estar perto da orla, é possível chegar ao local a nado, podendo ser observado também em mergulho livre.


Laje Dois Irmãos

Fica próxima aos rochedos dos Dois Irmãos, em frente à Baía dos Porcos. São várias formações de pedra incrustadas de esponjas onde há grande quantidade de peixes, arraias-manteiga e até tubarões. A profundidade máxima é de 25 metros.

Buraco do Inferno

Nos arredores da Ilha Rata, a gruta submersa tem formações coralíneas e a profundidade é de 18 metros.

Cordilheira

Próxima ao Buraco do Inferno, a Cordilheira é um paredão rochoso de 35 metros, repleto de arraias-chitas e cardumes diversos.

Cabeço da Sapata


O paredão, nos arredores da Ponta da Sapata, chega a 40 metros de profundidade.

 

 

 

Mar de Fora

Iuias
            A laje próxima à Ponta das Caracas tem 24 metros de profundidade e grandes paredes tomadas por esponjas, formando um corredor com peixes, tartarugas e tubarões.

Pedras Secas

O conjunto de rochas que chegam a 15 metros de profundidade oferece excelente visibilidade, além de formações interessantes como cânions e arcos. A fauna reúne barracudas e tartarugas. As Pedras Secas ficam próximas à Enseada da Caieira.


Ilha do Frade

Em frente à praia do Atalaia, a Ilha do Frade tem profundidade de 20 metros.

Ilha do Meio

Os arredores da Ilha do Meio são repletos de tocas e cavernas, com profundidades máximas de 15 metros.

 

 

Atrativos Culturais em Fernando de Noronha

A história de Noronha está concentrada na Vila dos Remédios – primeiro núcleo urbano da ilha e mais importante até os dias de hoje. Por lá estão a igrejinha e a fortaleza que dão nome à vila. O arquipélago abriga dez fortes construídos pelos portugueses no século XVIII, mas apenas a Fortaleza de Nossa Senhora dos Remédios teve suas ruínas tombadas pelo Iphan – é a única em condições de ser visitada.

 

Vila dos Remédios

As construções histórias preservadas da Vila dos Remédios fazem o principal núcleo urbano da ilha parecer um cenário. O centrinho cresceu nos arredores da igreja de Nossa Senhora dos Remédios, construída em 1772 pelos portugueses e tombada pelo Iphan. A vila abriga ainda a sede da administração da ilha – o Palácio de São Miguel -; as ruínas tombadas da Fortaleza de Nossa Senhora dos Remédios, erguida pelos portugueses no século XVIII; e o Memorial Noronhense, com reproduções de fotos antigas e textos que narram a história da ilha.

Fortaleza de Nossa Senhora dos Remédios

Foi a maior fortificação implantada pelos portugueses no século XVIII. Erguida sobre um primitivo reduto holandês, funcionou como presídio comum e político na década de 30 até 1942. Durante a Segunda Guerra, serviu de abrigo para soldados americanos. Tombada pelo Iphan, a fortaleza teve suas ruínas preservadas e é aberta à visitação.

Forte São Pedro do Boldró

Não há registros do ano exato em que foi erguido. Hoje, suas ruínas servem de mirante para apreciar a praia do Boldró e também o pôr-do-sol.

 

Palácio de São Miguel

A sede da administração de Noronha foi construída em 1948. O casarão em estilo colonial possui móveis de meados do século,  telas do pintor pernambucano Wash Rodrigues e um vitral com a imagem do arcanjo São Miguel, em tamanho natural, feito pela vitralista Aurora Lima, discípula do artista alemão Henri Moser.

 

Onde Comer em Fernando de Noronha

Foi-se o tempo em que, em Noronha, as refeições eram feitas apenas nas pousadas/pensões. Hoje, bons restaurantes se espalham pela ilha. A maioria é especializada em frutos do mar, mas há opções em massa e comida japonesa. Grande parte abre apenas para o jantar, a partir das 18h. A exceção fica por conta do Bar do Boldró, na praia de mesmo nome, que serve pescados no leite de coco no almoço. Outro que também pode abrir mais cedo – mas o grupo tem que ter no mínimo dez pessoas – é o concorrido Ecológikus. Os preços não são baratos, levando-se em conta que os ingredientes que acompanham as lagostas, mexilhões, polvos e camarões vêm do continente. Mesmo assim, vive cheio de turistas que chegam atrás dos pratos bem temperados, cuja fama corre a ilha. E não volte para casa sem experimentar os bolinhos de tubalhau – carne de tubarão salgada, semelhante a bacalhau – à venda no Museu do Tubarão.

 

Pousada Maravilha

Cozinha: Contemporânea
Bom para ir: a dois, para apreciar o visual.
End: BR-363, s/n
Tel: (81) 3619-0028

 

Arte & Sabor

Cozinha: Cozinha Rápida
Bom para ir: com a família, com os amigos.
End: R. Nice Cordeiro, s/n
Tel: (81) 3619-1120

 

Bar do Boldró

Cozinha: Peixes e Frutos do Mar
Bom para ir: com a família, com os amigos, para apreciar o visual.
End: Praia do Boldró
Tel: (81) 3619-1108

 

Ecológikus

Cozinha: Peixes e Frutos do Mar
End: Estrada Velha do Sueste, s/n
Tel: (81) 3619-1404

 

Mergulhão

A vista privilegiada para o Morro do Pico divide as atenções com as tendas do gramado, a música lounge e, claro, com o cardápio! Entre os pratos estrelados está o peixe crocante do dia recheado com camarão, lascas de queijo e palmito, acompanhado de purê de abóbora. E tem ainda a lagosta ao molho de jabuticaba com limão e ervas, o polvo com caju…

Cozinha: Frutos do Mar
Bom para ir: a dois, com os amigos, para apreciar o visual, 
End: Porto Santo Antônio, s/n

Museu do Tubarão

A especialidade da casa é o bolinho de tubalhau, feito com carne de tubarão salgada. O cardápio traz ainda a Tubalhoada (lascas de tubalhau, batata, cebola e azeite) e Tuba Burguer

Cozinha: Peixes e Frutos do Mar
Bom para ir: com a família, com os amigos, 
End: Av. Joaquim Ferreira Gomes, 40
Tel: (81) 3619-1365

 

Palhoça da Colina

A casa construída pelo próprio dono tem mesas baixas, almofadões coloridos, colchas, tapetes e velas. No cardápio – que é único – imperam os pescados do dia assados em folha de bananeira. Há ainda as opções de polvo e lagosta. O restaurante abre somente para jantar, mediante reserva.

Cozinha: Peixes e Frutos do Mar
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: Estrada da Colina, 4
Tel: (81) 3619-1473
Site: www.palhocadacolina.com

 

Porto Marlin

Cozinha: Japonesa
Bom para ir: a dois, com os amigos.
End: Porto de Santo Antônio
Tel: (81) 3619-1158

 

Restaurante do Zé Maria

Nas noites de quarta e sábado o restaurante oferece um festival gastronômico que oferece buffet com mais de 50 opções a preço fixo. Depois das 22h, a música e a animação rolam soltas. Nestes dias, as reservas são obrigatórias.

Cozinha: Variada
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigo.
End: R. Nice Cordeiro, s/n
Tel: (73) 3619-1258

 

Tartarugão

Cozinha: Variada
Bom para ir: com a família, com os amigos.
End: Alameda do Boldró, 238
Tel: (81) 3619-1331

 

Teju-Açu

O restaurante rústico e aconchegante funciona ao lado da piscina da pousada. Peixes e frutos do mar predominam no cardápio, mas algumas sugestões inusitadas chamam a atenção, como o lombo de cordeiro de sol com purê de macaxeira ao queijo camembert. Para a sobremesa, a dica é o petit gateau Romeu e Julieta – goiabada recheada com requeijão quente e cremoso.

Cozinha: Variada
Bom para ir: a dois, com os amigos.
End: Estrada da Alamoa
Tel: (81) 3619-1277
Site: www.pousadateju.com.br

 

Trattoria di Morena

Cozinha: Italiana
Bom para ir: com a família, com os amigos.
End: R. Nice Cordeiro, 2.600
Tel: (81) 3619-1142

 

Varanda

O cardápio reúne peixes, frutos do mar e delícias tipicamente nordestinas. Merecem destaques o filé de peixe grelhado no azeite, com frutas caramelizadas e arroz de castanha; o camarão ao creme de jerimum; e a carne de sol frita na manteiga de garrafa, com pirão de queijo em cama de farofa d’água e banana da terra.

Cozinha: Variada
Bom para ir: com a família, com os amigos.
End: R. Major Costa,130 – Vila do Trinta
Tel: (81) 3619-1546

 

Visual do Porto

Cozinha: Variada
Bom para ir: com a família, com os amigos, para apreciar o visual.
End: BR-363, s/n – Vila do Porto
Tel: (81) 3619-1129

 

 

Vida Noturna em Fernando de Noronha

 

Os agitos noturnos começam cedo, com as palestras diárias no Centro de Visitantes – sede do Ibama e do Projeto Tamar. Todos os dias, a partir das 20h30, há apresentação de documentários e debates com entrada franca. Entre os temas estão golfinhos, tubarões, tartarugas marinhas, Atol das Rocas e o Parque Marinho de Noronha. Dali, a pedida é seguir para o forró do Bar do Cachorro e dançar com os pés na areia. Nas noites e lua cheia é comum acontecer luau na praia da Conceição, organizado pela barraca Duda Rei.

 

Bar do Cachorro

O animado forró, que reúne nativos e turistas, não tem hora para terminar.

End: Terminal Turístico do Cachorro, s/n

Tel: (81) 3619-0165

 

Centro de Visitantes do Parque Nacional Marinho

O espaço fica lotado durante as paletras. É aconselhável chegar um pouquinho mais cedo para garantir uma poltrona.

End: Alameda Boldró, s/n

Tel: (81) 3619-1174 / (81) 3619-1381  

 

 

Compras em Fernando de Noronha

 

A maioria das lojinhas de artesanato e de souvenir ficam no Porto de Santo Antônio. Há opções de compras também nas vilas do Trinta, dos Remédios e Floresta Nova, além da feirinha montada no Terminal Turístico.

 

 

Eventos em Fernando de Noronha

 

Regatas

 

No mês de setembro, quando as águas da ilha estão bastante calmas, etapas de regatas oceânicas internacionais pontilham o arquipélago de veleiros. Entre as travessias estão Recife/Fernando de Noronha e Fernando de Noronha/Natal.

 

 

Campeonato Nacional de Pesca Esportiva

 

A competição acontece em agosto e fora da área do Parque Nacional Marinho. Entre as espécies mais disputadas estão a barracuda, o agulhão-de-vela e a guarajuba.

 

Festa de Nossa Senhora dos Remédios

 

No dia 29 de agosto, as festividades em homenagem à Nossa Senhora dos Remédios garantem animação dia e noite na vila central de Noronha. Nos arredores da igrejinha tombada pelo Iphan, devotos, nativos e turistas participam das comemorações religiosas e pagãs.

 

Festa de São Pedro

 

A festa religiosa do dia 29 de junho começa cedo, com a Buscada Marítima (procissão) pelas praias do mar de dentro. Ao longo do dia, as comemorações acontecem nos arredores da pequena Capela de São Pedro dos Pescadores, na parte alta da ilha. A construção, que permanece fechada o ano inteiro, abre suas portas apenas no dia do padroeiro.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.