Portugal – Lisboa

 

 

 

A capital portuguesa é uma mistura de cidade pequena e metrópole. Bem no centro de Lisboa, é comum encontrar ruas espremidas e casarios antigos com as tradicionais roupas penduradas nos varais, lençóis gigantescos, camisas, calças, toalhas… O bairro da Alfama, por exemplo, tem um colorido inconfundível que é a cara de Portugal. Por outro lado, também é uma cidade ampla, com ruas largas, praças, parques e construções modernas. O interessante é conhecer esses dois lados de Lisboa e entender um pouco este estilo de vida, bastante diferente do restante da Europa e muito semelhante ao nosso.

A cidade é repleta de atrações. Em Belém, a famosa Torre de Belém às margens do rio Tejo é belíssima tanto durante o dia, quanto à noite. Encomendada por Manuel I, a torre foi erguida para ser uma fortaleza no meio do Tejo a partir de 1515. A construção situava-se, no passado, mais distante da costa e era um marco para os navegadores que regressavam a Lisboa. A Torre de Belém tornou-se símbolo da era expansionista de Portugal.

Seguindo ainda pela margem, encontra-se o avião usado por Gago Coutinho na primeira travessia do Oceano Atlântico. Mais adiante fica o Monumento aos Descobrimentos, construído em 1960 para homenagear os 500 anos da morte do patrono dos navegadores, conhecido como Henrique, o Navegador. Ele é representado pela primeira escultura do monumento. Na face leste, é possível ver Vasco da Gama (o terceiro) e Pedro Álvares Cabral (o quinto, que está com a barba mais longa). No chão um enorme painel mostra as rotas dos descobrimentos dos portugueses nos séculos XV e XVI.

Ainda em Belém, há o Museu Nacional dos Coches (que abriga as carruagens do período monárquico português), o Museu da Marinha (dentro do Mosteiro dos Jerônimos) e o próprio mosteiro, uma construção considerada o ápice da arquitetura manuelina. O mosteiro foi erguido a partir de 1501, após o retorno de Vasco da Gama das Índias, e financiado, em grande parte, pelos lucros do comércio de especiarias, pedras preciosas e ouro. É nele que estão os túmulos do navegador Vasco da Gama e de algumas pessoas da família real portuguesa, entre eles o do rei Manuel I e o de sua esposa Dona Maria.

Na rua de Belém, a poucos metros do Mosteiro dos Jerônimos, fica a famosa confeitaria Pastéis de Belém que desde 1837 produz os legítimos pastéis homônimos, um doce que não tem nada a ver com os nossos pastéis brasileiros, mas que é uma delícia. Parece uma empada folhada recheada com creme de baunilha, servida com um toque de canela. O lugar é concorridíssimo e vende diariamente mais de 10 mil pastéis. Inacreditável! Realmente é muito gostoso, vale a pena provar…

A Praça do Comércio, também conhecida entre os lisboetas como Terreiro do Paço, abrigou durante 400 anos o palácio real. Manuel I transferiu a residência real do Castelo de São Jorge para esse local em 1511. O primeiro palácio acabou destruído no terremoto de 1755 que devastou várias cidades, mas a mais atingida foi Lisboa. Três tremores de terra reduziram grande parte da cidade a ruínas. Além disso, incêndios e inundações provocadas por grandes ondas formadas no rio Tejo foram responsáveis pela morte de cerca de 15 mil lisboetas. Carvalho e Melo restaurou a ordem e iniciou o planejamento de reconstrução do país. Sua inegável eficiência lhe proporcionou um enorme prestígio político, recebendo mais tarde o título de Marquês de Pombal. Uma belíssima praça em Lisboa leva o nome do marquês.

Voltando à Praça do Comércio, outro palácio foi construído no lugar do que foi demolido. O lugar era uma grandiosa porta de entrada da cidade de Lisboa, à beira do rio Tejo, usada pela realeza e por embaixadores. Foi aqui que em 1908 o rei Carlos e seu filho Luís Felipe foram assassinados. A praça também foi palco do primeiro levante que resultou na Revolução dos Cravos, movimento armado que pôs fim ao governo de Marcelo Caetano, sucessor do ditador Salazar que ficou 40 anos no poder.

Comece um passeio pelo centro de Lisboa pelo Arco do Triunfo, na Praça do Comércio (mais detalhes sobre a praça ver em Lisboa (parte I). Siga pela rua Augusta até a Praça do Pedro IV, também chamada de praça do Rossio. Neste caminho, você encontrará a poucos metros à direita ruas que levarão até a Sé (catedral de Lisboa, construída em 1150 para o primeiro bispo de Lisboa). Seguindo algumas quadras, à esquerda, fica o belo Elevador Santa Justa (parecido com o elevador Lacerda, que existe em Salvador na Bahia). Passeie calmamente pelos bairros do centro da cidade, como a Baixa, o Bairro Alto e o Chiado (bairro elegante, onde os lisboetas mais abastados fazem as suas compras).

Da Praça da Figueira é possível observar o Castelo de São Jorge no alto. Ele que já foi a moradia dos monarcas portugueses, serviu mais tarde como teatro, prisão e arsenal. Depois do terremoto de 1755, o castelo ficou em ruínas tendo sido reconstruído a partir de 1938.

O Museu Nacional do Azulejo funciona no Convento Madre de Deus e apresenta painéis decorativos, azulejos individuais e fotografias que abordam a técnica, uma herança dos mouros, desde a sua introdução, passando pela influência espanhola até o desenvolvimento de estilos tipicamente portugueses.

O Parque das Nações é um grandioso complexo criado para a Expo 98 (última exposição mundial do século XX) e abriga o Oceanário de Lisboa, o segundo maior do mundo, entre outras atrações. O lugar é incrível!!! Permite que o visitante se sinta um exímio mergulhador explorando os oceanos.

Para ver e conhecer os 15 mil animais e plantas de mais de 450 espécies diferentes é preciso pelo menos duas horas. Logo na entrada, se vê um grande aquário chamado “oceano global” (que pode ser visto de qualquer ponto do oceanário), com 5 milhões de litros de água salgada. O aquário gigante abriga animais de grande porte e velocidade, como raias, tubarões de dar medo e peixes de cardume como cavalas e xaréus. Para sustentar tanta água, a parede de acrílico tem 27 centímetros de espessura. O interessante é observar esses animais por alguns minutos. É fascinante…

O sistema de transporte de Lisboa não pode ser considerado um dos melhores da Europa, já que a rede de metrô é pequena e os ônibus e bondes não costumam respeitar horários. Mas de qualquer forma é a maneira mais cômoda para se conhecer a cidade.

 

CURIOSIDADES

Clima
Lisboa tem um clima atlântico, com algumas influências mediterrânicas. Devido a estas características, a amplitude térmica raramente é muito elevada, sendo grande a quantidade de dias com sol, mesmo durante o Inverno. A temperatura média em Setembro varia entre os 17ºC, temperatura mínima, e os 26,4ºC, temperatura máxima.

Moeda
A moeda utilizada é o EURO.

Idioma
O idioma oficial é o português.

Eletricidade
Corrente elétrica: 230 / 400 volts, na freqüência de 50 hertz. As tomadas de corrente seguem as normas européias. A utilização de fichas de lâmina (padrão americano) deve ser conjugada com um transformador para 230 volts e, ainda, uma ficha adaptadora.

Horários

Corresponde a +3 horas em relação ao horário de Brasília

Bancos
Os bancos estão abertos de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 15h00, com exceção dos dias feriados. Todos os bancos cambiam as moedas desde a abertura.

Aeroporto
O Aeroporto de Lisboa chama-se Aeroporto da Portela.

Telefones
Para DDI: 00+código da operadora+código do país+código da área+número local

Ligar para Lisboa: 00+código da operadora+351+1+número local

Alfândega
Não-residentes da União Européia podem pedir reembolso do Imposto sobre Valor Agregado (VAT). Ao comprar em lojas com a placa “ Tax Free for Tourists”, peça o formulário de Isenção do VAT e relacione nele os produtos comprados, quantidades e valores. Apresente os formulários na alfândega quando partir.

 

ATRAÇÕES 

O encanto da capital portuguesa reside nas suas fortes ligações ao passado, os palácios restaurados, as majestosas igrejas e um castelo imponente que refletem o rico patrimônio cultural da cidade.A História de Lisboa realiza-se entre uma mistura de acontecimentos e de lendas.O poeta português Luís de Camões, atribuiu credibilidade à história na qual Lisboa fora fundada por Ulisses, mas na realidade foram os Fenícios (200 a.C.) que estabelecidos no estuário do Tejo ofereceram um porto seguro para as suas galeotas. Construíram uma cidade que denominaram Alis Ubbo (porto calmo) e sob seu controle esta prosperou por mais de seis séculos. Os Gregos e os Romanos, seguido pelos Visigodos e, por último, os Mouros, foram os povos que governaram a cidade do rio Tejo, cuja designação alterava consoante a invasão de novos povos. Em 1147, o primeiro Rei de Portugal, D. Afonso Henriques, com a participação de flamengos, normandos, germanos e dos cruzados ingleses, expeliu finalmente os Mouros que se encontravam na posse de Lisboa desde 714. Lisboa foi pronunciada capital em 1256. Portugal prosperou durante os séculos XV e XVI enquanto uma sucessão de exploradores penetrou nos quatro cantos do globo. Suas descobertas trouxeram uma grande riqueza a Lisboa através do ouro, dos diamantes, das sedas e das especiarias. Em 1908, o assassinato do Rei D. Carlos I na Terreiro do Paço, provocou a queda do regime monárquico de 767 anos, forçando D. Manuel II a fugir, dois anos mais tarde, para a Grã-Bretanha.

Após a realização da exposição mundial Expo´98 em Lisboa, verificou-se um aumento de atrações na capital de Portugal. A sua grande maioria localiza-se, no agora, denominado Parque das Nações. O Oceanário representa um dos maiores centros de interesse do Parque das Nações. É um edifício avançado que simboliza os ecossistemas da Antártica, do Oceano Índico, do Atlântico e do Pacífico. O Castelo de São Jorge, localizado numa colina com uma vista espetacular sobre a baixa pombalina e com espetáculos multimídia, é um dos principais itinerários turísticos a visitar. Do mesmo modo, o Elevador de Santa Justa, no coração da Baixa, é uma atração que todos os que visitam Lisboa não dispensam. A vista sobre a cidade é simplesmente deslumbrante.

Aqueduto das Aguas Livres

Aquário Vasco da Gama

Casa dos Bicos

Cristo Rei

Estufa Fria

Padrão das Descobertas

Oceanário

Parque das Nações

Torre de Belém

Zoo

 

COMPRAS

As áreas destinadas para as compras são um destaque para os visitantes de Lisboa.É difícil resistir a uma grande gama de produtos a preços bastante competitivos. Sapatos, malas e cintos são exemplos disso. Outros artigos interessantes são os bordados, a tapeçaria e os azulejos, que são excelentes presentes para a família e amigos. Uma das melhores lembranças é a requintada porcelana da Vista Alegre, elaborada por peritos desde 1824. As peças são de valor incontestável e de grande beleza artística, sinônimo de excelência e qualidade. Para além da porcelana e da faiança, poderá encontrar diversas peças de cerâmica a baixo preço nas lojas de artesanato No Alentejo, os tapetes de Arraiolos são bastante populares junto dos turistas, mas a sua aquisição já se revela mais onerosa. Antiguidades e jóias também se revelam compras caras tal como produtos de louça. Nenhum visitante deverá sair de Lisboa sem uma garrafa de Vinho do Porto, a maneira certa de regressar com memórias saborosas da sua estada na capital portuguesa.

Azulejos

Principais Locais de Compra

Mercados

Vinho do Porto

Centros Comerciais

 

IGREJAS

Umas das características mais evidentes, em Lisboa, são a variedade de estilos arquitetônicos das suas igrejas. Embora reconstruída após o terremoto de 1755, a maioria dos edifícios católicos ainda permanecem com a sua construção original. Aqui se inclui, por exemplo, a Igreja do Carmo (século XIV), que mantém a fachada principal e as duas laterais do corpo da igreja.

Basílica da Estrela

Mosteiro dos Jerônimos

Panteão Nacional

São Vicente de Fora

 

MIRADOUROS

As melhores vistas sobre Lisboa são possíveis de obter através dos miradouros que pontificam pela cidade. Os miradouros são uma rede de esplanadas e terraços situados nos pontos mais elevados da cidade, tais como o Castelo de São Jorge, o Parque de Monsanto e Bairro Alto. Todos proporcionam lugares aos visitantes para o seu descanso, estando a sua maioria preparada para servir snacks e bebidas.

Torre de Belém

Castelo de São Jorge

Cristo Rei

Elevador de Santa Justa

Nossa Senhora do Monte

Parque Eduardo VII

Santa Catarina

 

MUSEUS

A reputação que Lisboa detém como sendo uma das principais capitais européias de cultura deve-se, grande parte, à abundância de museus em toda a cidade. Esta secção fornece uma lista repleta de todos os museus da cidade, incluindo detalhes sobre a sua localização, horário de funcionamento e os principais pontos de interesse. Registe-se que a maioria dos museus de Lisboa encerram às segundas-feiras e aos feriados nacionais, sendo necessário pagar uma pequena quantia para aceder aos seus espólios. Os visitantes pagam uma quantia adicional quando ocorrem exposições temporárias.

Museu da Ajuda

Museu Anastacio Gonçalves

Museu de Arte Antiga

Museu da Arqueologia

Museu do Azulejo

Museu Bordalo Pinheiro

Museu do Chiado

Museu dos Coches

Museu do Traje

Museu de Artes Decorativas

Museu do Design

Museu da Eletricidade

Museu Etnológico

Casa de Fernando Pessoa

Museu de Arte Popular

Museu da Geologia

Museu Gulbenkian

Museu da Marinha

Museu Militar

Centro de Arte Moderna

Museu da Música

Museu da Ciência

Museu de Santo Antonio

Museu do Teatro

Museu dos Transportes e Comunicação

Museu Vieira da Silva & Arpad Szenes

Museu da Água

 

PALÁCIOS

O Passado monárquico de Portugal encontra-se disseminado em muitos palácios que se podem encontrar em Lisboa e arredores. Famoso pela fachada cor-de-rosa, o palácio presidencial, em Belém, construído no século XVI para a família real, também sofreu com o terremoto de 1755.Ocupando uma zona rural junto ao parque de Monsanto, o imponente Palácio Fronteira foi construído em 1640 como um pavilhão da caça para João de Mascarenhas, o primeiro Marquês de Fronteira. Fora da cidade, os majestosos palácios reais de Queluz e Sintra são referências a explorar.

Palácio de Fronteira

Palácio de Queluz

 

PARQUES E JARDINS

Aproximadamente um quarto da cidade é coberto pelo parque natural de Monsanto, cuja utilização representa mais uma área de recreio e direcionada para excursionistas do que um parque florestal. O Parque Eduardo VII representa uma visita obrigatória para os turistas. Aqui realiza-se, anualmente, entre Maio e Junho, a já conhecida Feira do Livro. Localizada junto ao Parque, a Estufa Fria é um viveiro de plantas tropicais de países exóticos localizados, na sua maioria, nos continentes asiático e africano. Existem, ainda, dois autênticos pulmões que oxigenam a grande cidade, o Jardim da Estrela e o Jardim Botânico. O Jardim da Estrela com a sua esplêndida perspectiva permite imagens que se confundem com o quotidiano de Lisboa e o Jardim Botânico que possibilita a frescura da sombra nos dias de Verão.

Jardim Botânico

Jardim da Estrela

Parque Eduardo VII

Parque Natural de Monsanto

 

PRAIAS

Lisboa pode vangloriar-se pelas suas duas extensões de costa arenosa, uma a norte do Rio Tejo (Costa do Estoril) e outra a sul (Costa Azul). Ambas foram agraciadas com uma abundância de praias, cada uma com características naturais próprias. A 20 quilômetros ao Oeste de Lisboa e prosseguindo após a famosa Praia do Guincho (perto de Cascais), a Costa do Estoril é uma região cosmopolitana facilmente acessível através de comboio ou de carro do centro de Lisboa. Algumas das praias mais populares, nesta região, estão situadas entre Estoril e Cascais. Poderá desfrutar de mais praias num percurso acima da costa ocidental entre o Cabo da Roca e Peniche. Para aqueles que pretendam explorar a Costa Azul, serão recompensados com condições espetaculares para se banharem a sul do rio Tejo. Com 15 quilômetros de costa repleta de sol, a localidade rainha em praias, é a Costa da Caparica. Este local é bastante procurado entre os meses de Maio e Setembro. A acessibilidade a estas praias é reforçada nos meses de Verão, já que existe uma rota de caminho de ferro disponibilizada para este efeito. Para a realização de desportos náuticos, aconselhamos um passeio pela Costa Azul de forma a deliciarem-se com a Lagoa de Albufeira, Sesimbra e Portinho da Arrábida. Aqui existem todos os equipamentos indispensáveis a taxas apelativas.

Costa Azul

Costa da Caparica

Costa do Estoril

Sintra

Península de Tróia

 

TRANSPORTES

Lisboa orgulha-se do seu sistema de transportes, sendo ainda uma das melhores formas para conhecer a cidade. A rede extensiva de autocarros pode levá-lo a qualquer zona de Lisboa enquanto que a rede de metro atravessa o coração da cidade e se estende até à área ocidental, um dos locais de maior lazer, o Parque das Nações. Os visitantes não devem estar receosos em andar de táxi, já que estes ainda representam um custo aceitável. Realizando uma viagem num elétrico antigo ou num autocarro panorâmico, é possível recuperar um toque de nostalgia dado ser uma maneira apropriada de observar a vida numas das capitais mais antigas da Europa. E ninguém deve sair de Lisboa sem viajar num dos elevadores clássicos da cidade, uma viagem que garante vistas panorâmicas e deslumbrantes do alto da colina. Para visitar as áreas circundantes tais como Sintra, a Costa Estoril ou a Costa Azul, existem os comboios com partidas regulares para estes destinos e no caso da Costa Azul, o ferry-boat é uma opção a tomar em consideração. Alternativamente, alugar um automóvel e conduzi-lo por estas zonas balneáreas pode ser uma opção econômica para um pequeno grupo de visitantes (3 a 4 pessoas).

Aeroporto

Combóios e Estações Ferroviárias

Terminal Rodoviário

Navios de Cruzeiro

Autocarros e Elétricos

Metro

Táxis

Passes Turísticos

 

VIDA NOTURNA

Lisboa possui uma das mais fascinantes noites na Europa. Em todas as noites da semana, os visitantes podem beber até ao alvorecer, encontrar música de dança, assistir a um concerto ou apreciar uma refeição fora de horas. A cidade tem uma oferta variada e interessante de restaurantes e bares nas zonas mais populares como o Bairro Alto e as Docas. As Noites em Lisboa prolongam-se normalmente até ao dia seguinte, dado que a maioria dos bares não encerram antes das duas da manhã e as discotecas fecham às 6:00 ou mais tarde. O Bairro Alto sempre foi um lugar popular para sair à noite. Este lugar cultivou o seu próprio estilo ano após ano, distinguindo-se de outras zonas de vida noturna da cidade. Além da abundância de bares e de clubes, o Bairro Alto oferece uma seleção alargada de restaurantes portugueses típicos. A zona ribeirinha mais conhecida como Docas tem registrado uma evolução, tornando-se num dos locais mais vivos da noite lisboeta. Dispõe de vários restaurantes, bares, esplanadas que as tornam numa referência da noite na capital portuguesa. Mas a diversão não está apenas confinada a Lisboa estendendo-se ao longo da Costa do Estoril. Aclamado como o maior Cassino na Europa, o famoso Cassino do Estoril oferece um entretenimento de primeira categoria e variadas opções de jogos durante toda a noite.

Após o jantar, os visitantes podem passear nas zonas mais antigas de Lisboa como o bairro de Alfama e o Bairro Alto, onde também existe uma abundância de bares, clubes noturnos e casas de Fado. Também poderá ouvir Fado em Alcântara. Aqueles que procuram as discotecas “da moda” devem dirigir-se à Avenida 24 de Julho, local privilegiado para os jovens lisboetas acabarem a noite. Também o poderá fazer nas Docas de Santo Amaro (zona renovada de bares e de restaurantes) e em Alcântara. Em termos culturais, Lisboa é reconhecida pelo seu rico calendário cultural com destaque para o Ballet, a Ópera e os concertos que ocorrem durante todo o ano, na sua maioria em espaços consagrados tais como o Centro Cultural de Belém, a Gulbenkian e a Culturgest.

FADO. Traduzido como o destino ou a fatalidade, o fado é uma canção sobre o infortúnio, por vezes sobre a felicidade e muitas outras coisas que afetam o nosso quotidiano. Para o visitante, o fado é uma curiosidade, mas para o fadista é uma forma de expressão íntima, acompanhada pelas intricadas melodias das guitarras tocadas por homens elegantemente vestidos. Não estamos absolutamente certos de sua origem, embora alguns refiram que está relacionada com a História de Portugal e da localização geográfica. Deverá ser apreciado, preferencialmente durante o jantar, com uma ou duas garrafas de vinho português.

 

RESTAURANTES 

A Baiúca- Para os loucos por bacalhau! (Rua da Barroca,86. Tel. 35-121/3421-386)

 

A Travessa – Num antigo convento de 1653, dedicado à N.Sra. de Nazaré é um lugar liiindo, bem especial! No verão  aproveite para jantar lá fora. (Travessa do Convento das Bernardas, 12 , mapa Tel. 21 390 20 34).

 

Além Fronteira –  Cozinha de fusão e criativas invenções como Pastelinhos da Serra amanteigado com geléia de cerejas,  Lombo de atum lacado com sésamo e risoto de algas, Robalo em crosta de hortelã e amêndoas com mistos de batata doce… (Rua Marquês de Fronteira 173. Tel. 211922259).

 

Bica do Sapato –  É um dos restaurantes da moda de Lisboa, escondido e difícil de achar com sócios como John Malcovicht e Catherine Deneuve. Badalado e com vários ambientes; com cozinha mediterrânea, criativa e variada, bar e sushi-bar. Lembra o Spot de SP. (Av. Infante D.Henrique, Armazém B Cais da Pedra, em frente à estação Santa Apolônia). Tel. 351-21- 881- 03 20).

 

Bocca - Jantar divino, restaurante badalado, moderno e mega gostoso! Com criatividade e inspirações na tradicional cozinha portuguesa, cheio de detalhes o menu muda semanalmente sob chefia de Alexandre Silva. Não perca de sobremesa “A folha de laranjeira e o Earl Grey”. A dica é reservar do Brasil, imperdível! ( Rua Rodrigo da Fonseca 87D com estacionamento na frente (M: Rato, Marquês do Pombal. Tel. +351 213 808 383).

 

Brasserie de l’Entrecôte - Assim como em Paris o carro-chefe aqui é o maravilhoso filet com fritas, e um super molho secreto de 8 ingredientes. (Rua do Alecrim, 117, esquina com Pça. Camões, Lisboa Baixa-Chiado. Tel 21-351-1234).

 

Burger Ranch – Para os loucos por hamburguer, com vários espalhados por Portugal, tipo ideal para criançada.

 

Casa do Alentejo - A casa é um antigo palacete primorosamente decorado, de influência árabe, com ares marroquinos nos mosaicos. Para matar as saudades da comida Alentejana, com danças e cantoria típicas…Rua de Sto Antão, 58 Baixa.

 

Casa da Comida – Com 30 anos de existência, a Casa da Comida continua a ser um dos restaurantes mais prestigiados, 1 * guia Michelin, é reconhecido internacionalmente por ser uma referência da gastronomia portuguesa. (Travessa das Amoreiras, 1. Tel. 213 875 132).

 

100 Maneiras –  O  chef iuguslavo Ljubomir Stanisic, um dos mais talentosos da atualidade, com muita criatividade e qualidade na cozinha contemporânea. Menu degustação 35 euros/pessoa+ couvert e bebidas consumidas. Sempre com produtos frescos da estação. Fecha aos domingos. ( Rua do Teixeira, 35. Tel. +35 21 099 0475).

 

Come Prima Restaurante Italiano -Delícias italianas frescas e feitas artesanalmente como pastas, risotos saborosos e pizzas, que a gente adora! ( Rua do Olival 258 - tel. 351 21 390 24 57).

 

Conventual – Cozinha tradicional portuguesa do Alentejo, como Cozido à Portuguesa e Bacalhau de Coentrada. ( Praça das Flores, 45. Tel. 35 121 390 9196)

 

Eleven – O restaurante é maravilhoso na arquitetura e na sua cozinha; sendo o único restaurante português 1* no guia Michelin, sob comando do chef Joachim Koerper ( No topo do parque Eduardo VII topo do Parque Eduardo VII, dentro do Jardim Amália Rodrigues, Rua Marquês de Fronteira).

 

Flores -  Restaurante de cozinha portuguesa com toques mediterrâneos no térreo do Hotel Bairro Alto. Visita virtual  ( Praça Luís de Camões, Tel. 21 342 8828).

 

Forno  Velho - Restaurante de cozinha tradicional, feita com qualidade e em forno à lenha numa sala ampla e com serviço atencioso. (rua do Salitre, 42, Coração de Jesus).

 

Gambrinus - Fundado em 1936, cozinha tradicional e super elogiado. (Rua das Portas de Santo Antão. Tel. (00/xx/351) 213-42-14-66 ).

 

Gemelli – Restaurante italiano bem elogiado, com cozinha moderna e criativa. Fecha sáb. no almoço e domingo o dia todo. (Rua Nova da Piedade, 99. Tel. 351 213 952 552).

 

Limoncello - Restaurante italiano na frente do Teatro Trindade, de 2 andares  pequenininho, com  ingredientes mediterrâneos. ( Rua Nova da Trindade,10 C - em frente ao Teatro da Trindade, Chiado. Tel. 213462575).

 

O Trigueirnho - ( LargoTrigueiros,17)Tel. 218881219

 

O Poleiro - Restaurante informal de cozinha portuguesa, com certeza! Fecha aos domingos.( Rua de Entrecampos 30 A, Alvalade).

 

Pap´Açorda - Continua a ser um dos melhores restaurantes de Lisboa. Caro, mas delicioso! não perca a mítica mousse de chocolate. (Rua da Atalaia, 57, Encarnação. Tel. 2134 64 811)

 

Pavilhão Chinês – Um bar à moda antiga, vale super a pena, cheio de quinquilharias de coleções, tipo um museu, cenário de muitos filmes, com chás e enorme variedade de coquetéis e petiscos deliciosos. Metrô Rato 9 linha amarela) e Baixa- Chiado (azul e verde) (Rua Dom Pedro V, 89, perto do Jardim do Príncipe Real).

 

Pizzeria Mezzogiorno - O lugar é bem legal, clean e moderno. Autênticas pizzas margueritas, napolitanas, a mozzarella fresca e outros produtos típicos do sul de Itália ao ritmo do clima de Lisboa, porém… fecha aos domingos!  (Rua Garret 19, Chiado. Tel. 213421500).

 

Pragma-  O melhor da gastronomia portuguesa sob chefia de Fausto Airoldi. ( Alameda dos Oceanos, Parque das Nações. Tel. 21 892 90 40).

 

Restaurante Gastronómico Tavares - Super tradicional, o restaurante mais antigo de Portugal  e dos mais antigos do mundo, leva à experiências gastronômicas deliciosas da cozinha português e internacional.  (Rua do Teixeira 35 , Encarnação)

 

Santissimus – Acolhedor e despretensioso, o Santissimus aposta no conceito de slow food para saborear queijo da serra, os filetes de peixe espada,  proposta é escapar à pressa  e converter-se sem reservas aos prazeres da mesa Santíssimus.  O espaço é pequeno (30 lugares) e  abre apenas para jantar. (Rua São João da Mata, 33.Santos-o-Velho.Tel.914328161).

 

Stop do Bairro - Restaurante simples, nada sofisticado e frequentado pelos lisboetas; despretencioso e  barato. (Rua Tenente Ferreira Durão, 55 A. Tel. 213888856).

 

Sofisticato - Restaurante em Santos, para uma refeição tradicional italiana com um toque sofisticado. Sob comando do chef Alessio Carrer , que assina pratos italianos, com sabores do mediterrâneo. (Rua São João da Mata, 27- Santos. Tel.  21 396 53 77 / 8).

 

Tágide – Já foi uma discoteca e reabriu como restaurante maravilhoso e com uma vista show! Almoços e lanches de 3ª à 5ª e jantar às 6ªs e sábados. Gostoso para a hora do chá com mais de 20 tipos, entre scones e bolos, deliciosos.  Um jantar completo com vinho para 2 sai tipo 90 euros (o almoço costuma ser mais barato). Vale conhecer, nem que seja para o chá à tarde. (Largo da Academia Nacional de Belas Artes, 18 e 20, Chiado. Tel. 213 404 010).

 

Tasquinha d´Adelaide - Pequeno restaurante com pratos especializados no norte de Portugal. Preço médio 35€ (Rua do Patrocínio, 70.,. Campo de Ourique. Tel.21 396 22 39).

 

Terreiro do Paço – É uma parceria entre a Quinta das Lágrimas e o Chef Vitor Sobral, que se uniram para criar um restaurante emblemático numa das mais deslumbrantes praças do mundo! Fechado sáb. no almoço e aos domingos. (Praça Terreiro do Paço.

 

2 Good - É um espaço descontraído e moderno com design contemporâneo para provar saladas frescas, tostas especiais e bifes, com preços médios de 6 euros. No happy hour convida aos petiscos: Pimentos Padron, Gambas com piri-piri, Ovos mexidos com farinheira, Pica-Pau, sem faltar caipirinhas e caipiroskas! (Rua Duarte Pacheco Pereira 5E, Santa Maria de Belém. Tel.213013867).

 

Uai!- Restaurante brasileiro caprichado com sabores de  Minas Gerais faz o maior sucesso, tem até caipirinhas! O serviço é feito em buffet (preço-fixo)e servido em panelas de pedra-sabão. Com vistas para a doca de Alcântara e Rio Tejo, fecha às 2ªs feiras. (Rua Rocha Conde de Óbidos Armazém 114 Cais das Oficinas. Tel. 21 390 01 11)

 

Zaafran – Com decoração inspirada na Índia e  minimalista. . O nome Zaafran é inspirado no exótico açafrão, e a cozinha é uma viagem que tem início na India, região do Gujarat, que passa por Moçambique até chegar a Lisboa. Um espaço descontraído no almoço e mais sofisticado e intimista no jantar. (Largo Dona Estefânia 8 , a Estefânia, esquina c/ a Av. Casal Ribeiro. Tel. 213558894).

 

Cafés e Pastelarias

A Brasileira – Tradicional  ponto de encontro de artistas, escritores, como Fernando Pessoa desde 1905. Tipo obrigatório, um café com jeito da Colombo, do Rio, ar antiguinho, fumaça de cigarro, doces divinos, além de almoço no subsolo. Gostoso com mesinhas do lado de fora, onde está a estátua de Fernando Pessoa. Se não tirou foto tem que voltar… (Rua Garret, 120).

 

A Merendinha - O espaço é pequeno e pitoresco e pendurado sobre a porta há um letreiro onde se lê em letras garrafais: “Limonadas”. Pois é: assim se percebe (mesmo sem entrar) que o que o negócio aqui é a limonada… Coisas da terrinha! Custam 90 cêntimos é bem refrescante no verão e fecha aos domingos (Rua Nova do Almada 45 A).

 

Colcci Cafe- O café que está na moda, no Chiado. Aberto em Novembro/2009, em cima da brasileira Colcci, para quem Gisele Bundchen desfilava. Das 10:30 às 20hs, num espaço de  2.000m2, restaurante, bar e café, com scones, bolinhos e outras delicias. (Rua Ivens, 59).

 

Haagen Dazs - Perto da estátua de Fernando Pessoa, sorvetes e mais sorvetes que todo mundo adora! Chocolate, framboesa, macadâmia, cookies and cream, hummmm… (Rua Paiva de Andrade 8/12).

 

Pastéis de Belém

Se não provou os famosos “Pastéis de Belém” (parecem empadinhas, mas são como creme brulée numa tortinha) tem que voltar para Portugal! Desde 1837 é uma instituição… Quentinhos com canela e um cafézinho, hummm… Demais! Aberto diariamente das 8 às 23hs  e dom. até às 22hs.( Rua de Belém, 84 -92. Tel 35 1 21  363-7423).

 

Quente & Bom - O pão quentinho e crocante, a meia de leite, o pão de Deus saindo do forno, suminho de laranja natural, bolachinhas de manteiga, delícia para o café. (Rua da Victória nº 46).

 

Lisboa

Lisboa , assim como as principais cidades do mundo também tem “Restaurant Week”, para alegria dos gourmets de plantão, ou de férias… Enfim; uma boa oportunidade de ir à novos restaurantes e provar pratos diferentes a preços bem acessíveis. De 31/3 à 9/4/2011, imperdível!

 

Porto

Buhle - Aberto em 2008, sofisticado e cosmopolita, está entre os  na lista dos 5 melhores restaurantes novos do mundo, pela Wallpaper. Sob chefia de Rodrigo Garret e à carta de vinhos que em Novembro do ano passado foi premiada pela portuguesa Revista de Vinhos.

 

Cascais

Fortaleza dos Guinchos – O restaurante foi inaugurado em 1998, com o Hotel com o mesmo nome. Sob comando do chef francês Antoine Westermann, (3*** No guia Michelin)
já tem a sua 1ª* no guia Michelin. (Estrada do Guincho, 2750. Tel. 351- 214 870 491).

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.