Brasil – Natal

 

 

 

Os 400 quilômetros de costa de Natal e arredores, emoldurados por dunas, recifes, falésias e piscinas naturais, fazem da capital do Rio Grande do Norte um dos destinos mais procurados do país. Junte-se a tudo isso passeios de bugue, rústicas vilas de pescadores, natureza preservada, noite agitada e sol quase todos os dias do ano. Resumo: férias perfeitas!

Natal foi fundada pelos portugueses no século 16, com a construção do Forte dos Reis Magos. A fortaleza, com formato semelhante ao de uma estrela de cinco pontas, é um dos principais cartões-postais da cidade. Além de guardar canhões e muitas histórias, descortina uma bela vista das praias urbanas da capital potiguar.

A mais procurada é Ponta Negra, concorrida durante o dia em função de seus quiosques; e badalada quando o sol se põe por reunir alguns dos melhores bares e restaurantes locais. Em muitos deles, o cardápio é repleto de delícias típicas da culinária regional à base de frutos do mar, carne-de-sol, feijão verde, arroz-de-leite…

O dia começa cedo em Natal. A primeira providência é alugar um carro – de preferência um bugue, o meio de transporte oficial para circular pela capital e arredores. Seguindo para o litoral Norte, os destaques são as dunas de Genipabu e as lagoas de Jacumã e Pitangui, onde são praticados o esquibunda e o aerobunda. Ao Sul, as tranqüilas praias da região levam à vila de Pipa, a 90 quilômetros.

Quando o assunto é compras, os mercados de artesanato espalhados por Natal oferecem peças em madeira, tecido e vidro. No Centro de Turismo, um casarão onde funcionou a cadeia pública, os destaques são os delicados bordados em renda de labirinto e os coloridos trabalhos em cerâmica.

A primeira coisa a fazer para curtir os principais atrativos de Natal é alugar um carro ou contratar um bugueiro. Em seguida, é só decidir que direção tomar. Rumo ao litoral Norte, do outro lado do rio Potengi, está um verdadeiro parque de diversões natural em meio a dunas, lagoas e praias da região de Genipabu. Entre as atrações estão manobras radicais nos montes de areia, passeios a bordo de dromedários, aerobunda (tirolesa) e esquibunda (descida em pequena prancha) nas lagoas de Pitangui e de Jacumã. Vale a pena esticar o passeio até Maracajaú, um complexo de piscinas naturais a cinco quilômetros da costa.

Para o litoral Sul, as paisagens revelam algumas das mais belas praias da região, entre elas, as do vilarejo de Pipa. No caminho até lá, paradas obrigatórias em Pirangi do Norte, onde está o maior cajueiro do mundo; e, para quem viaja com crianças, em Pirangi do Sul, ponto de partida rumo às piscinas naturais.

 

Ponta Negra

A mais badalada praia de Natal tem barracas animadas no calçadão e um mar que reúne banhistas e surfistas. Ponto de encontro de várias tribos, é freqüentada por nativos e visitantes.Ponta Negra tem como marca registrada o Morro do Careca, uma duna de 120 metros de altura e cercada por vegetação, com acesso fechado.

 

Pirangi do Sul

As piscinas naturais de Pirangi são as mais próximas de Natal e da praia, de onde partem escunas para mergulhos. É uma opção de parada para quem visita as praias do Sul.

 

Curtir Genipabu

O grande atrativo são as dunas que, aliadas aos bugues, fazem de Genipabu um verdadeiro parque de diversões no meio do nada. Os passeios podem ser “com ou sem emoção”, o que significa mais velocidade e manobras radicais pela dunas móveis e fixas, vez por outra abençoadas com lagoas de águas doce. Do topo do monte de areia é possível apreciar a Lagoa de Genipabu e também fazer passeios na corcova de dromedários. O percurso termina na praia de Genipabu – apesar de tranqüila e protegida por uma coluna de recifes, não é tão bonita em função das águas turvas

 

Passear de bugue até pipa

O passeio é quase todo feito pela praia, terminando em um dos cenários mais belos do litoral potiguar. A viagem, de 90 quilômetros, vale a pena também pelo charme e pelo astral da vila de pescadores, repleta de bares, restaurantes, lojas e  pousadas, além de gente jovem e bonita vinda dos mais diversos cantos do mundo.

 

Barra de tabatinga

A enseada de águas calmas é procurada por famílias com crianças, que lá encontram o Parque do Tubarões. Mas quem garante a fama de Barra de Tabatinga são os golfinhos, que costumam brindar os visitantes no final da tarde. Para avistá-los, siga para o mirante da estrada. Enquanto os animais não dão o ar da graça, aprecie o visual emoldurado por dunas e falésias. Tabatinga é  aúltima praia do litoral Sul de Natal. 

 

Maracaju

A 60 quilômetros de Natal, Maracajaú é famosa por seus parrachos – formação de recifes de coral – a sete quilômetros da costa, perfeitos para mergulho. Bastante preservados, abrigam rica fauna marinha, como budiões, baiacus, polvos e moréias, vistos com máscara e snorkel na maré baixa. A praia é acessível de bugue, a partir de Genipabu ou Muriú. Atenção às condições do tempo, tanto para chegar quanto para mergulhar: escolha um dia de maré baixa e bastante ensolarado, quando a visibilidade da água é maior.

 

Muriú

É a continuação do passeio pelas dunas de Genipabu, levando à lagoa de Pitangui para a prática do aerobunda e à de Jacumã para o esquibunda.

 

Maior cajueiro do mundo

Com 8.500 metros quadrados de copa, num emaranhado de galhos e cipós, o cajueiro está registrado no Guinness Book como o maior do mundo. Na época da safra, de setembro a dezembro, os visitantes podem saborear a fruta enquanto dão voltas pela árvore.

 

As Praias de Natal 

As praias são os cenários mais concorridos de Natal. Partindo para o Litoral Norte ou para o Litoral Sul, em cada trecho, um atrativo: desde a emoção das manobras radicais nas dunas móveis ou fixas ao simples relax numa vila de pescadores. E tem ainda as piscinas naturais de Maracajaú, uma barreira de corais a sete quilômetros da praia, com águas mornas e cristalinas que convidam a mergulhos em meio a peixes coloridos.  

Praias urbanas como Meio, Artistas e Areia Preta, não são indicadas para banhos devido à grande quantidade de recifes e pedras. Mas quando a maré está alta, os surfistas fazem a festa na praia dos Artistas. Já em Ponta Negra, também considerada central, tem espaço para todo mundo, intercalando trechos calmos e outros com boas ondas para a prática do surf.

 

Urbana 

Ponta Negra

A mais badalada praia de Natal tem barracas animadas no calçadão e um mar que reúne banhistas e surfistas. Ponto de encontro de várias tribos, é freqüentada por nativos e visitantes.Ponta Negra tem como marca registrada o Morro do Careca, uma duna de 120 metros de altura e cercada por vegetação, com acesso fechado.

 

Litoral Sul 

Pirangi do Sul 

As piscinas naturais de Pirangi são as mais próximas de Natal e da praia, de onde partem escunas para mergulhos. É uma opção de parada para quem visita as praias do Sul.

 

Barra de Tabatinga

A enseada de águas calmas é procurada por famílias com crianças, que lá encontram o Parque do Tubarões. Mas quem garante a fama de Barra de Tabatinga são os golfinhos, que costumam brindar os visitantes no final da tarde. Para avistá-los, siga para o mirante da estrada. Enquanto os animais não dão o ar da graça, aprecie o visual emoldurado por dunas e falésias. Tabatinga é  aúltima praia do litoral Sul de Natal. 

 

Pirangi do Norte

Tornou-se conhecida pela proximidade com o maior cajueiro do mundo, com 8.400 metros quadrados de copa. É de lá que partem os passeios de barco para piscinas naturais, passando ainda pelas praias de Pirangi do Sul, Búzios e Cotovelo, com paradas para mergulho.

 

Búzios

Bastante procurada, alterna pontos bons para mergulho e outros perfeitos para o surfe. Nos arredores, dunas e lagoas podem ser desbravadas a bordo de bugues.

 

Cotovelo

Primeira parada rumo ao Sul, a 12 quilômetros de Ponta Negra, Cotovelo tem águas calmas e areia fofa e clara. Dunas, coqueiral e falésias complementam o visual.

 

Litoral Norte

Genipabu

O grande atrativo são as dunas que, aliadas aos bugues, fazem de Genipabu um verdadeiro parque de diversões no meio do nada. Os passeios podem ser “com ou sem emoção”, o que significa mais velocidade e manobras radicais pela dunas móveis e fixas, vez por outra abençoadas com lagoas de águas doce. Do topo do monte de areia é possível apreciar a Lagoa de Genipabu e também fazer passeios na corcova de dromedários. O percurso termina na praia de Genipabu – apesar de tranqüila e protegida por uma coluna de recifes, não é tão bonita em função das águas turvas.

 

Maracajaú

A 60 quilômetros de Natal, Maracajaú é famosa por seus parrachos – formação de recifes de coral – a sete quilômetros da costa, perfeitos para mergulho. Bastante preservados, abrigam rica fauna marinha, como budiões, baiacus, polvos e moréias, vistos com máscara e snorkel na maré baixa. A praia é acessível de bugue, a partir de Genipabu ou Muriú. Atenção às condições do tempo, tanto para chegar quanto para mergulhar: escolha um dia de maré baixa e bastante ensolarado, quando a visibilidade da água é maior.

 

Jacumã

A praia é o berço do “aerobunda”, praticado na lagoa de mesmo nome. A modalidade consiste em descer uma enorme duna sentado numa cadeirinha presa em uma corda, caindo direto na lagoa de águas limpinhas.

 

Maxaranguape

A praia abriga o Cabo de São Roque, ponto do litoral brasileiro mais próximo da África. Vale a pena subir as dunas para curtir o visual – vasto coqueiral, dunas e lagoas – acompanhado pelo sopro do vento.

 

Pitangui

Tem águas calmas, areia fofa e fina, coqueirais e dunas. Na lagoa de mesmo nome, a diversão é descer os montes de areia praticando tirolesa (cabos aéreos).

 

Redinha

Local de partida para os passeios pelo Litoral Norte, Redinha é também ponto de encontro do mar com o Rio Potengi. A praia, que abriga uma grande vila de pescadores,tem ondas fortes e recifes.

 

Esportes e Ecoturismo

As belezas naturais de Natal não se restringem à contemplação. Seus cenários e atrativos são aproveitados também para a prática de esportes. Os aquáticos, sem dúvidas, são os mais procurados, como o surf e o windsurf nas praias urbanas de Ponta Negra e dos Artistas; e o mergulho, nas piscinas naturais. Em terra firme, os passeios de bugue pelas dunas ganham a companhia de emocionantes ralis a bordo de veículos 4×4,motos e caminhões. Já os amantes do trekking encontram trilhas no Parque das Dunas, encravado em uma área de preservação ambiental. E o céu não é o limite na capital potiguar. Passeios de ultraleve em Genipabu permitem observar cada cantinho de um dos cartões-postais mais belos do Nordeste brasileiro.

 

Mergulho

Nos parrachos, como são chamados os recifes de corais, é possível curtir a vida marinha apenas com snorkel e máscara. As piscinas naturais de Pirangi estão entre as mais procuradas – são as mais próximas de Natal e também da costa. Já Maracajaú e Perobas ficam entre 50 e 90 quilômetros da cidade e a cinco da costa. As belezas debaixo dá água, porém, compensam a viagem.

 

Off-road 

Natal é um das cidades mais procuradas para sediar ralis em veículos 4×4, 4×2, motos e caminhões. As competições - e também os passeios - acontecem em meio a praias e canaviais, criando verdadeiros labirintos. Os mais animados podem fazer o percurso até Fortaleza. São quatro dias de viagem ao logo de 800 quilômetros, passando por 80 praias.

 

Surf

Mais badalada praia urbana de Natal, Ponta Negra atrai surfistas de todos os níveis em função de suas grandes e bem formadas ondas. Também a praia dos Artistas, na região central, é procurada pelos adeptos do esporte na maré alta. A turma do surf costuma ainda pegar a estrada e viajar até Pipa, a 90 quilômetros de Natal, para curtir as ondas das praias do Amor e do Moleque.

 

Trekking

Segundo maior parque urbano do país, com uma área de 1.172 hectares de Mata Atlântica, o Parque das Dunas é o local preferido dos praticantes de trekking em função de sua boas e sinalizadas trilhas. Entre as mais conhecidas estão Ubaia-Doce, com 2.800 metros; Peroba, com 1.400 metros; e Perobinha, com 800 metros. Durante a caminhada é possível apreciar a vegetação nativa, além de dunas e animais como sagüis, aranhas e aves. Criado em 1977, o parque é a primeira unidade de conservação ambiental implantada no Rio Grande do Norte.

 

Ultraleve 

Cenário dos passeios de bugue e de dromedário, as dunas de Genipabu também podem ser vislumbradas do alto, através de ultraleves alugados na área.

 

Windsurf

Os ventos fortes que sopram na região de São Miguel do Gostoso, a 120 quilômetros de Natal, tornaram o local ponto de encontro de praticantes de windsurf, além de velejadores e kitesurfistas.

 

Atrativos Culturais 

Nem só de praias e dunas vive o turismo em Natal. A cultura também fazer parte do roteiro da cidade, que tem muitas histórias para contar. Além do Forte dos Reis Magos, um dos principais cartões-postais da capital e tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, a cidade reúne construções em estilo neoclássico que abrigam teatros, casas de cultura e igrejas. Através das festas religiosas é possível conhecer e apreciar as manifestações folclóricas típicas da região.

 

Forte dos Reis Magos

Em formato de estrela, a fortaleza foi construída pelos colonizadores portugueses em 1598, nas proximidades do encontro do Oceano Atlântico com o Rio Potengi. Em 1633, apesar da localização estratégica, não impediu a invasão dos holandeses. Anos mais tarde, os portugueses conseguiram retomar a cidade e o forte. O monumento ainda preserva os canhões - expostos na parte superior do prédio -, capela com poço de água doce e alojamentos.

 

Farol de Mãe Luiza

Do alto de seus 37 metros de altura, acessíveis por uma escadaria em espiral de 151 degraus, o farol descortina uma das mais belas vistas da praia da Areia Preta, permitindo ainda vislumbrar as praias de Genipabu e Ponta Negra. Erguido entre 1949 e 1951 e administrado pela Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, é movido a energia elétrica, emitindo lampejos de luz a cada 12 segundos em uma extensão que atinge 44 quilômetros.

 

Memorial Câmara Cascudo 

O mais aclamado intelectual do Rio Grande do Norte, o historiador e folclorista Luiz da Câmara Cascudo, foi homenageado com um memorial que reúne todo o seu acervo de livros, documentos e objetos que retratam a expressão da cultura popular do estado. O prédio, em estilo neoclássico e datado de 1875, abrigava a Tesouraria da Fazenda até 1987. São 15 mil volumes, entre títulos de biografia, história, religião e folclore, além de correspondências do folclorista com outros grandes intelectuais do país como Monteiro Lobato, Mário de Andrade e Gilberto Freire.

 

Teatro Alberto Maranhão

A construção histórica em estilo neoclássico é considerada uma das mais belas de Natal. Tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, abriga hoje a orquestra sinfônica do Rio Grande do Norte e o corpo de baile do balé municipal.

 

Centro de Turismo

Antiga Casa de Detenção de Natal, o Centro de Turismo abriga feira de artesanato e galeria de arte antiga e contemporânea, apresentando um pouco da história potiguar através da evolução da cultura popular. Outra atração do espaço é o “Forró com Turista”, um show de música regional, nas noites de quinta-feira.

 

Igreja de Nossa Senhora do Rosário

Construída pelos escravos entre 1706 e 1714, tem localização privilegiada: no alto de um platô de onde se avista todo o Rio Potengi.

 

Museu Câmara Cascudo

O historiador também dá nome ao museu de ciências naturais e antropológicas de Natal, com exposições permanentes de fósseis e esqueletos, além de utensílios indígenas e peças das artes sacra e popular.

 

Rua Chile

Cenário dos principais eventos culturais de Natal, a Rua Chile está em um dos bairros mais antigos da capital, a Ribeira, que ainda conserva muito da arquitetura do século XIX. Os prédios históricos da região constituem a Zona de Preservação Histórica da Cidade, que contempla ainda os velhos armazéns utilizados para estocar algodão e açúcar.

 

Barreira do Inferno

Base da Aeronáutica, a Barreira do Inferno foi o primeiro centro de lançamento de foguetes espaciais da América do Sul, inaugurada em 1965. O nome foi dado pelos pescadores da região que, ao voltarem do mar ao entardecer, viam o reflexo do sol nas falésias da base, tornando-as vermelhas como fogo. Hoje, realiza pesquisas aeroespaciais e oferece visitas guiadas.

 

Nas redondezas

Alguns cenários nos arredores de Natal reúnem peculiaridades que merecem uma vista de um dia inteiro ou até uma esticada por mais dias. Para o Norte ou para o Sul, as pequenas vilas de pescadores guardam riquezas em estado bruto. É o caso da rústica Galinhos, com suas águas de azul intenso; e da cosmopolita Pipa, que além das praias mais bonitas do litoral potiguar tem ainda noites tão concorridas como as de consagrados balneários.

 

Litoraul Sul

Pipa e Tibau do Sul

A 90 quilômetros de Natal, os vilarejos de Pipa e de Tibau do Sul são acessíveis  por carros de passeio, que chegam até lá pela BR-101. A melhor viagem, entretanto, é a bordo dos bugues, que permitem fazer grande parte do trajeto pela areia da praia e, no trecho de asfalto, segue-se margeando o mar por uma estada secundária. Vale a pena levar uma muda de roupas, pois é quase impossível chegar a Pipa e não querer ficar mais um dia na vila que atrai jovens das mais diversas nacionalidades.

 

Litoral Norte 

Galinhos

Apesar da dificuldade de acesso, não deixe de incluir a praia de Galinhos – a 160 quilômetros de Natal – no roteiro. A partir de Pratagi é preciso deixar o carro em um estacionamento e pegar uma balsa até uma rústica vila. Dali, a bordo de carrocinhas puxadas por jegues, chega-se ao outro lado da península, um pontal de areia que termina num mar de águas azuis intensas, com direito a farol e lagoinhas temporárias que aparecem na primavera e no verão. Luxo e grandiosidade não rimam com Galinhos, que tem na beleza natural o seu maior patrimônio.

 

São Miguel do Gostoso

As praias primitivas combinadas com muito sossego são os grandes destaques de São Miguel do Gostoso, uma vila de pescadores a 120 quilômetros de Natal. Os ventos constantes fazem da região um lugar perfeito para velejar ou windsurfar – destaque para Ponta do Santo Cristo. De bugue é possível circular por toda a costa e conhecer pérolas como a bonita praia de Caiçara, repleta de estrelas-do-mar, dunas e coqueirais. A gastronomia vem se desatacando na região, com bons restaurantes de frutos do mar.

 

Onde comer

Na hora de conferir a diversificada gastronomia de Natal, todos os caminhos levam à Ponta Negra, onde se concentra grande parte dos restaurantes. E embora os pratos à base de frutos do mar – destaque para moquecas e paellas servidas no Moqueca Capixaba e Samô – encham os olhos de qualquer turista, vale a pena experimentar as delícias típicas da culinária local. No cardápio de estabelecimentos como Camarões Potiguar, Paçoca de Pilão e Tábua de Carne, as estrelas são a carne-de-sol, a macaxeira frita ou cozida, o feijão verde, o arroz de leite… Vale guardar espaço para a sobremesa, que traz doce de caju e cartola (banana com queijo). Quem quiser experimentar um pouquinho de cada uma das variadas receitas nordestinas deve seguir para o Mangai. Sabores de todo o Nordeste se encontram no farto bufê.

 

Âncora Caipira

Oferece bufê no café da manhã, com direito a sucos diversos, tapiocas e frutas típicas com creme de leite.
Cozinha: Regional
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: R. Seridó, 745
Tel: (84) 3202-9364

 

Mangai 

Além do bufê no almoço e no jantar, a casa oferece ainda a Ceia Regional – destaque para  as tapiocas, os suco de frutas típicas, o pão de macaxeira e o cuscuz.

Cozinha: Regional
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
Obs: O restauirante funciona de seguda a domingo, das 11h às 22h
End: Av. Amintas Barros, 3300 – Lagoa Nova
Tel: (84) 3206-3344
Site: www.mangai.com.br

 

Paçoca de Pilão
Cozinha: Regional
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: Av. Dep. Márcio Marinho, 5708
Tel: (84) 3238-2088

 

Buongustaio

Cozinha: Italiana
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: Av. Afonso Pena, 444
Tel: (84) 3202-1143

 

Camarões

Cozinha: Peixes e Frutos do Mar
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: Av. Engenheiro Roberto Freire, 2610
Tel: (84) 3209-2424

 

Camarões Potiguar

Cozinha: Peixes e Frutos do Mar
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: R. Pedro Fonseca Filho, 8.887 – Ponta Negra
Tel: (84) 3209-2425
Site: www.camaroes.com.br

 

Farofa D’água

Cozinha: Regional
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: Av. Praia de Ponta Negra, 8952
Tel: (84) 3219-0857

 

Guinza

Misto de restaurate e bar, tem charutaria e pista de dança.

Cozinha: Variada
Bom para ir: a dois, com os amigos, para paquerar, 
End: Via Costeira, s/n (trevo de Ponta Negra),
Tel: (84) 3219-2002
Site: www.guinza.com.br

 

La Cachette

Cozinha: Variada
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: Av. Engenheiro Roberto Freire, 3218
Tel: (84) 3219-3068

 

Mazzano

Cozinha: Italiana
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, para apreciar o visual, 
End: Av. Engenheiro Roberto Freire, 9034
Tel: (84) 3219-5151
Site: www.mazzano.com.br

 

Piazzale Itália

Cozinha: Italiana
End: Estrada de Pirangi, s/n (Rota do Sol)
Tel: (84) 3236-2697 

 

Samô

Cozinha: Peixes e Frutos do Mar
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: Av. Engenheiro Roberto Freire, 9036
Tel: (84) 3219-3669

 

Take-Ya (Casa de Bambu)

Cozinha: Japonesa
Bom para ir: a dois, com os amigos, 
End: Av. Praia de Ponta Negra, 9156
Tel: (84) 3236-2529

 

Tapiro Grill

Cozinha: Carnes / Churrascaria
Bom para ir: a dois, com a família, com os amigos, 
End: Via Costeira, 6045 (Serhs Natal Grand Hotel)
Tel: (84) 4005-2011

 

Vida Noturna em Natal 

O ponto de encontro para curtir a noite potiguar é Ponta Negra. É para lá que seguem jovens, famílias e casais em busca de diversão. Além dos restaurantes, abriga bares movimentados com música ao vivo, alguns com programação diária. A variedade de estilos – rock, forró, jazz, MPB, axé e música latina – agrada a todos os gostos. Antes de escolher onde entrar e dançar, dê uma volta na parte alta do bairro, nos arredores do Taverna Pub, um dos points mais concorridos da chamada zona boêmia.

Na Vila Costeira, os grandes hotéis ali instalados promovem eventos todas as noites, com shows de música e dança, além de bufês especiais (nordestino, de frutos do mar, tropical, árabe…). Para conferir os espetáculos folclóricos, o tradicional restaurante Zás-Trás, no Tirol, tem apresentações de segunda a sábado, além de repentistas e muito forró. E por falar em arrasta-pé, o Centro de Turismo promove o “Forró com Turista”, um show de música regional nas noites de quinta.

O movimento noturno é garantido também na Praia dos Artistas, com o vai-e-vem de turistas pelos bares e restaurantes; e no antigo bairro da Ribeira, freqüentado pelo público jovem nas noites de sexta e sábado.

 

Compras em Natal 

Natal conta com diversos espaços para a comercialização de artesanato. Só em Ponta Negra são dois endereços – Vilarte e Mercado de Artesanato de Ponta Negra. Mas é em Petrópolis que está um dos mais concorridos: o Centro de Turismo. Instalado na antiga cadeia pública, o belo casarão ganhou charme ao transformar as celas em lojas. É lá que acontece o animado “Forró com Turista” nas noites de quinta-feira.

Em cada feira ou mercado é impossível não se surpreender com a infinidade de peças em argila, madeira, tecido, vidro, pintura, além de castanha de caju, cachaças e temperos locais. Vale a pena conferir os preços antes de comprar, uma vez que há produtos semelhantes em diversas lojas e barracas.

Para adquirir trabalhos em renda de labirinto é preciso disposição.  A cooperativa das rendeiras da região funciona no distrito de Campo de Santana, no município de Nísia Floresta. São 45 quilômetros de viagem, recompensados por bonitas toalhas de mesa, passadeiras, capas de almofada e guardanapos.

 

Associação das Rendeiras de Labirinto 

A feira funciona no distrito de Campo de Santana, no município vizinho de Nísia Floresta.

 

Centro de Turismo

Antiga Casa de Detenção de Natal, o Centro de Turismo abriga feira de artesanato e galeria de arte antiga e contemporânea, apresentando um pouco da história potiguar através da evolução da cultura popular. Outra atração do espaço é o “Forró com Turista”, um show de música regional, nas noites de quinta-feira.

 

Mercado de Artesanato de Ponta Negra 

A estrutura é simples, mas dento do enorme galpão há de tudo. Vale a pena experimentar as castanhas e as cachaças artesanais.

 

Vilarte

Os objetos em cerâmica colorida, como jarros e esculturas de animais, são os destaques da feira.

 

Eventos 

Carnatal

Em pleno mês de dezembro, os agitos do Carnaval tomam conta da cidade. Criado em 1991, o Carnatal entrou para o calendário de eventos da capital e hoje é uma das maiores micaretas – Carnaval fora de época – do país. São três dias de muita festa – de sexta a domingo, sempre na primeira quinzena –, reunindo 250 mil pessoas. O desfile acontece no Corredor da Folia, cortando as principais ruas e avenidas da cidade. E quem não quiser ir atrás dos trios elétricos, que levam as mais badaladas bandas de axé da Bahia, pode optar pelas arquibancadas ou confortáveis camarotes, espalhados por todo o trajeto.

 

Auto de Natal

A apresentação acontece no dia 22 de dezembro, no centro da cidade. É um espetáculo de rua, reunindo as mais diversas manifestações culturais locais - grupos folclóricos, quadrilhas juninas, escolas de samba e tribos de índios – para retratar o nascimento do Menino Jesus.

 

Festa de Nossa Senhora dos Navegantes

Comemorada na última semana de janeiro, é uma das tradições mantidas na praia da Redinha. Organizada pela igreja, conta com a participação da comunidade dos pescadores e turistas. A programação combina missas, novenas, procissões (a pé e de barco), concurso de embarcação, apresentação de grupos folclóricos e shows musicais.

 

Festa de Santos Reis 

Acontece na primeira semana do ano, entre os dias 1º e 6 de janeiro, no bairro de Santos Reis. Religiosa e profana, traz na programação missas, novenas, procissão, apresentação de grupos folclóricos, shows com bandas locais, além de barracas com bebidas e comidas típicas.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.