Temporada de Ski na América do Sul

Em julho começa a temporada de neve na América do Sul. Para a sorte dos brasileiros, os países vizinhos contam com diversas estações de esqui na Cordilheira dos Andes, algumas delas, inclusive, estão entre as melhores do mundo. Por isso, a Travel Workers decidiu ajudar com os principais destinos e algumas dicas, vem com a gente!

CHILE

CORRALCO
Aos pés do vulcão Lonquimay, a estação Valle Corralco fica dentro da Reserva Nacional Malalcahuello-Nalcas, o que a torna uma boa alternativa para quem gosta não só do esporte, mas também de apreciar uma bela paisagem. Sua base está a 1.480 metros acima do nível do mar e seu ponto mais alto alcança os 2.300 metros. Para os esquiadores de plantão, a estação oferece 25 pistas, além de possuir cinco ski lifts (três são de puxar e dois são chairlifts)

CHILLÁN
O charme desse destino de inverno não está apenas nos bosques milenares da vegetação nativa ou nas estilosas acomodações construídas aos pés das montanhas: Chillán é o nome de dois vulcões da região, o que confere ao centro de ski um toque especial de exuberância além das águas termais aquecidas pelos vulcões. As próprias pistas de esqui em Chillán merecem atenção especial. São mais de 35 quilômetros de pistas – incluindo a mais extensa de todo hemisfério Sul, Três Marias, com 13 quilômetros de descidas e vistas incríveis da natureza da região. Para quem procura diversão além das pistas e do centro de esqui, é possível agendar passeios de trenó puxado por cães ou de snowmobile pelos bosques, além de se divertir em uma sessão de paintball na neve.

PORTILLO
Portillo é uma ótima sugestão para quem realmente ama esquiar e sabe praticar o esporte, já que não fica próxima a nenhuma cidade. Com um único hotel ski-in/out, a estação de Portillo proporciona aos esquiadores muito mais espaço e exclusividade, além de fácil acesso para voltar e aproveitar um banho quente, o SPA, ou uma boa refeição sem precisar se preocupar com o transporte. Para os experts, o heliskiing – prática de esqui alpino com acesso de helicóptero – proporciona uma das mais emocionantes descidas pelas montanhas.

VALLE NEVADO
A apenas 60 km da capital chilena, e com muitos dias de sol por ano durante a temporada, o Valle Nevado conta com percursos fora de pista para esquiadores avançados em montanhas que chegam a mais de cinco mil metros de altura. Já para os principiantes, esquiadores médios e avançados, o Valle Nevado tem, ao todo, 34 pistas e caminhos.

ARGENTINA

BARILOCHE
A estação de ski mais famosa da Argentina é uma das queridinhas dos brasileiros – tanto que, durante a temporada de ski em Bariloche, o português se torna o segundo idioma da região. E com razão, já que além das pistas para todos os níveis de dificuldade e uma imensa área esquiável, as belezas da região transformam cada momento em uma experiência única. Aos pés da montanha de Cerro Catedral, o nome oficial da estação de esqui Bariloche, e às margens do deslumbrante lago Nahuel Huapi estão todos os serviços que um visitante pode precisar: hotéis, restaurantes, lojas, uma pequena galeria e até um shopping. Por isso a cidade fica tão movimentada quando as temperaturas caem – encontre a Calle Mitre e descubra onde quer encerrar o dia.

CERRO BAYO
A menos de 100 quilômetros de Bariloche, a estação de esqui Cerro Bayo também está às margens do lago Nahuel Huapi – e proporciona visuais deslumbrantes de uma paisagem composta por bosques, montanhas e lagos. Mas, ao contrário da “vizinha pop”, a cidade de Villa la Angostura tem um perfil mais exclusivo e sossegado, o que permite que os esquiadores se deleitem por pistas e lifts com tranquilidade. As 25 pistas de esqui e a área esquiável de 460 hectares estão apoiadas por uma infraestrutura de altíssima qualidade, incluindo internet sem fio e diversos restaurantes espalhados pela estação, 16 meios de elevação e mais dias para esquiar em Cerro Bayo, já que a altitude da estação é mais elevada e a neve cai por mais tempo.

CHAPELCO
Eleita como melhor resort de inverno da Argentina em 2015 e 2016, Chapelco atrai esquiadores não apenas pela moderna infraestrutura – que inclui um sistema de skipass automatizado com chips e internet sem fio por toda a estação – mas também por suas 28 pistas e a ampla área de ski off-track. Localizada próxima à fronteira com o Chile, a estação de esqui Chapelco ganha como bônus a geografia única da Cordilheira dos Andes, além da paisagem exuberante da patagônia argentina e do lago Lanín. A cidade de San Martín de los Andes, na base da montanha, mantém o charme de vilarejo alpino, com chalés de madeira e pedra, cafés e ruelas estreitas onde é possível encontrar restaurantes servindo o melhor da gastronomia regional e bares para relaxar depois de um dia nas pistas.

LAS LEÑAS
Localizada numa das regiões mais remotas da Cordilheira dos Andes, a estação de esqui de Las Leñas combina o conforto e a tranquilidade de um refúgio entre as montanhas com a adrenalina das melhores pistas de ski e áreas de esqui off-track e a badalação de hotéis com diversas opções de vida noturna. Com 175 quilômetros de área esquiável e uma das maiores pistas de esqui do hemisfério sul, com sete quilômetros de descida e exuberantes paisagens, Las Leñas é a queridinha dos mais experientes: 85% das pistas é dedicada a eles. Para os iniciantes no esporte, há uma área de mais de mil metros de extensão e baixa inclinação, perfeita para os primeiros movimentos. A estrutura do centro de esqui ainda conta com shopping, quase 20 restaurantes e bares, museu e spa, além de várias opções de hospedagem com todo o conforto e a praticidade de um resort ski-in/ski-out.

USHUAIA
A cidade mais ao sul do planeta também abriga uma das mais bonitas estações de esqui da Argentina. Cerro Castor fica a pouco mais de 26 quilômetros de Ushuaia e é destino certo para os esquiadores que curtem belas paisagens, pistas com equipamentos modernos e a famosa neve powder, fresca e fofa, que cai em abundância na região. Privilegiada por sua localização e formação geográfica, a “cidade do fim do mundo” beneficia a estação de esqui Ushuaia com encostas que desafiam todos os níveis de esquiadores e uma das mais longas temporadas de ski da América do Sul, de junho até outubro. Além disso, é possível descobrir toda a exuberância da natureza da Terra do Fogo em passeios de trenós puxados por cães, caminhadas com raquetes de neve e cruzeiros pelo mar austral – onde é possível observar pinguins e leões marinhos, habituais visitantes da região.